Auditoria aponta “SUPERFATURAMENTO” de mais de “MEIO MILHÃO” na compra de suco para merenda escolar entre 2013 e 2016 gestão Valdeci Aparecido Lourenço                  “Prefeito amigo da criança”                  
Colaboração: Gean Mendes – f5conchal@gmail.com

Enquanto algumas pessoas falavam pelos quatro cantos da cidade, que a atual administração não teria coragem de passar Conchal a limpo. A atual administração do prefeito Vando Magnusson tem demonstrado bastante competência investigando e denunciando o rombo de 32 milhões deixados pela gestão anterior, a fim de dar uma resposta para a população conchalense que está até hoje  sendo obrigada a pagar essa conta.
Como se não bastasse a discrepância na compra do pão de cada dia dos alunos da rede municipal de ensino, conforme noticiamos em abril deste ano, quando foi constatado que a atual administração comprou o mesmo produto (Pão Hot Dog) pela metade do preço chegando a economizar 130 mil em uma única compra, comparado com o ano passado.
A comissão de auditoria interna da prefeitura criada esse ano (2017) incumbida de fazer o levantamento dos gastos do município da gestão passada, tendo como objetivo apurar o rombo dos 32 milhões deixados pela gestão do ex-prefeito Valdeci Aparecido Lourenço, que chegou a ser condecorado como “Prefeito Amigo da Criança”, apurou que entre o período de 2013 a 2016, a prefeitura gastou aproximadamente 500 mil reais a mais na compra de suco de laranja para a merenda escolar que deveria ser consumido pelos alunos da rede pública de ensino, O recurso utilizado para a aquisição desse item vem do governo federal, através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
Os valores que foram pagos pela merenda que supostamente não chegou totalmente na boca das crianças da rede pública de ensino, daria para abastecer as escolas por “UM ANO E MEIO”, sem precisar gastar um centavo.
A quantidade de suco comprado semanalmente não coincide com a tabela de consumo estipulado pela nutricionista da época.
A discrepância das compras se estendeu também na atual administração, que desconfiou dos valores e quantidades que estavam sendo entregues pelo fornecedor e a partir daí, se deu o inicio da investigação para apurar os fatos. A atual administração informou que pedirá ressarcimento dos valores que foram pagos a mais este ano e ainda informou que o caso será denunciado ao MPF  (Ministério Público Federal)  por se tratar de verba do (Pronaf), Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar.

A informação nos foi passada, durante a reunião da comissão de auditoria interna ontem, dia 15/09. Vale lembrar que fica difícil acreditar que o ex-prefeito não teria conhecimento dos fatos, uma vez que entre os documentos apresentados na reunião, havia notas fiscais assinadas pelo próprio ex-prefeito dando ciência do recebimento das compras. 

Comentários

Leia também...