Vereadores Ito e pastor Joais viajam para Brasília para participar de curso e colocam as despesas na conta do povo
Colaboração: Gean Mendes - f5conchal@gmail.com  - WhatsApp (19) 99153 0445

Antes de falarmos sobre o assunto, pedimos para que você leitor, assista o vídeo abaixo. A matéria foi feita pelo Fantástico da Rede Globo e aborda casos de cursos semelhantes aos que nossos vereadores foram participar. A reportagem é do ano de 2010.





Cada vereador conchalense recebe por mês, R$ 6.312,20 (seis mil trezentos e doze reais e vinte centavos) como subsidio (salário). Além disso, o vereador tem por direito, receber reembolso pelas despesas contraídas por ele, durante o "exercício da função". Vale lembrar, que a lei que dá esse direito ao político, foi feita por outro político.

No mês passado (Outubro) os vereadores Ito e Pastor Joais participaram de um curso de qualificação e aprimoramento de vereadores.  O curso aconteceu em Brasília (DF) e custaram R$ 450,00 (quatrocentos e cinquenta reais) cada inscrição, conforme comprovam os documentos que segue abaixo e que está disponível a toda população no site da câmara municipal, conforme abordamos na matéria anterior.









 Além das inscrições, os vereadores gastaram com Hotel (hospedagem), gasolina, alimentação e até mesmo a água consumida pelos nobres edis, foram pagas com o dinheiro dos impostos de cada cidadão, valendo lembrar, que o carro utilizado para transportar os vereadores, foi o carro oficial do município, por tanto, público também!
O cidadão conchalense pagou pela viagem que durou aproximadamente cinco dias e pelo curso dos vereadores, viagem, hospedagem, refeição e outros... O valor de R$ 3.167,24 (três mil cento e sessenta e sete reais e vinte e quatro centavos) sendo, R$ 1.444,18 para o vereador Ito e R$ 1.723,00, para o vereador Joais (pastor Joais).

NOTA F5

Esperamos que o curso e a viagem paga com o dinheiro dos impostos do cidadão surtam efeitos, uma vez que, o contribuinte já tenha desembolsado esse ano (2017) R$ 138.868,40 (cento e trinta e oito mil quatrocentos e trinta e quatro reais e quarenta centavos) apenas com o pagamento dos salários dos nobres edis que não agregaram praticamente nada à sociedade.
Pastor Joais, por exemplo, durante todo o ano (2017) desenvolveu apenas um projeto de lei, mas já recebeu quase 70 mil reais de subsidio (salário) esse ano.


Já o vereador Ito, não apresentou nenhum projeto, conforme consta no site da câmara municipal.

 Imagine a seguinte história de uma família: o pai e a mãe (Governo#) vivem acima de suas possibilidades, com carros de luxo, viagens caras, desperdícios de todo tipo. Um dia, os filhos (População#) descobrem que a situação econômica da família está em ruínas, que os pais devem mais do que possuem.
Incapazes de esconder a realidade, eles confessam aos filhos que não têm como pagar as dívidas acumuladas (32 milhões#) e que é necessário apertar o cinto. Como? Cortando despesas domésticas básicas, reduzindo tudo a uma economia de guerra.
Os filhos (População#) perguntam aos pais (Governo#)  se eles também vão começar a fazer sacrifícios, a cortar na própria carne. Eles prometem que sim, mas depois de um tempo, enquanto exigem dos filhos (População#)  cortes a cada dia maiores e sacrifícios como deixar de ir ao cinema, comer uma pizza fora de casa, vender a moto e até deixar de frequentar um curso de inglês, os pais (Governo#)  pouco ou nada foram capazes de sacrificar. Continuam com seus luxos, viajando sem necessidade, saindo para jantar em restaurantes caros.
Agora eu pergunto: Qual seria a reação daqueles filhos (População#)  naquela família? No mínimo, diriam aos pais (Governo#) : "Ou vocês cortam os próprios gastos, ou não têm o direito de exigir mais sacrifícios de nós. Depois que vocês nos tiverem dado exemplo de austeridade, voltem a falar conosco. Ponto".
Já que a eleição para vereador ainda está longe, a população poderá manifestar suas insatisfações no ano que vem não votando no candidato a deputado estadual ou federal que estiverem sendo representados pelos políticos locais em geral, que não atendem aos anseios da população.
















Comentários

Leia também...