Vacinação contra a gripe começa na segunda-feira; meta é imunizar 54 milhões de pessoas em todo o país
Campanha contra a influenza vai de 23 de abril a 1º de junho; veja quem deve tomar a dose que, neste ano, protege contra três tipos de vírus da gripe.


A campanha nacional de vacinação contra a influenza começa nesta segunda-feira (23). O anúncio foi feito nesta quarta-feira (18) pelo Ministério da Saúde. A meta, segundo a pasta, é imunizar 54,4 milhões de pessoas, que fazem parte do grupo considerado "mais suscetível" ao agravamento de doenças respiratórias.

Veja qual é o público-alvo para receber as doses gratuitamente no SUS:

- pessoas a partir de 60 anos
- crianças de seis meses a cinco anos
- trabalhadores da área de saúde
- professores das redes pública e privada
- mulheres gestantes e puérperas
- indígenas
- pessoas privadas de liberdade (incluindo adolescentes cumprindo medidas socioeducativas)
- profissionais do sistema prisional
- portadores de doenças que aumentam o risco de complicações em decorrência da influenza
A contraindicação da vacina é para quem tem alergia severa a ovo.

Tipos de vírus

A vacina desse ano tem a possibilidade de proteger contra três tipos de vírus da gripe: o Influenza A, nas variações H1N1 e H3N2 e influenza B. Para o ministério, o acréscimo da proteção contra o H3N2 acontece após a infecção de 47 mil pessoas no hemisfério norte, em janeiro, mas no Brasil, segundo Carla Domingues, coordenadora-geral do programa de imunização do ministério, “não há nenhuma evidência que teremos uma circulação forte do H3N2”.

Dia D será em 12 de maio

O Ministério da Saúde confirmou também que o Dia D será no próximo dia 12 de maio, quando ocorre a mobilização nacional. No dia, os 65 mil postos de vacinação do país estarão em funcionamento. A meta, segundo o ministro Gilberto Occhi, é distribuir 100% das doses para todo o público-alvo e, se eventualmente houver uma sobra de vacina, as demais pessoas serão imunizadas.
“Nosso objetivo maior é prevenir, vacinar e evitar os casos e os óbitos que infelizmente ocorreram em 2017.” - Gilberto Occhi
Occhi informou, ainda, que até esta terça (17), 7,4 milhões de doses já tinham sido entregues em todo país e, até esta sexta, outras 17,2 milhões de vacinas devem ser entregues. Segundo o ministro, “não haverá prorrogação da campanha”.


Casos confirmados

No ano passado, o país confirmou 394 casos confirmados de contaminação por uma das três variações da influenza. Ao todo, segundo a Saúde, 66 pessoas morreram.
Até 14 de abril deste ano, o governo já registrou 392 casos de influenza em todo país, com 62 óbitos. Do total, 190 casos e 33 mortes foram por H1N1. Em relação ao vírus H3N2 foram 93 casos e 15 mortes.

Apesar dos dados, Carla Domingues afirma que “não se trata de surto”.
“É o momento que ocorre maior incidência dos casos, mais ainda estamos no começo da sazonalidade.” - Carla Domingues
A afirmação faz referência ao número de casos de contaminação registrados na região metropolitana de Goiânia, em Goiás. Devido ao alto número de casos, a Região Centro-Oeste teve a campanha de vacinação antecipada e começou no dia 13.

Cronograma de distribuição

Segundo Carla Domingues, o cronograma de vacinação deste ano está “dentro do prazo definindo pelo Ministério da Saúde”. A coordenadora-geral de imunizações afirmou, no entanto, que em alguns outros anos, o Instituto Butantan conseguiu antecipar a produção, mas, neste ano, “não pode haver a antecipação nacional".
Até 20 de abril, a Região Centro-Oeste receberá 60% das doses de vacina. No mesmo período, a previsão é de que a Região Sul receba 54% do total. A Região Norte deve receber 50% do número de doses até o dia 20. Já no Sudeste e Nordeste a porcentagem prevista de entrega das doses nesse período é de 36% e 35%, respectivamente.

Por Marília Marques, G1 DF

Comentários

Leia também...