Quase 80% das operações de crédito no Brasil estão nas mãos de quatro bancos
Pesquisa do Banco Central afirma que Bradesco, Itaú, Caixa e Banco do Brasil concentram elevada fatia do setor de crédito no mercado.

Quase 80% das operações de crédito no Brasil estão nas mãos de apenas quatro grandes bancos: Bradesco, Itaú, Caixa e Banco do Brasil. Este é um dos dados trazidos pelo Relatório de Estabilidade Financeira (REF), divulgado ontem pelo Banco Central. Os números, referentes ao encerramento de 2017, mostram ainda que o segmento bancário brasileiro está muito próximo do limite que passa a considerar o ambiente como de “elevada concentração”.
O Banco Central sempre defendeu que há um atraso entre a baixa da Selic e o recuo dos juros efetivamente cobrados pelos bancos. Ao mesmo tempo, a instituição costuma pontuar que o nível de concentração no Brasil não é diferente do visto em outros países, como os da Europa. Os EUA, que possuem mais instituições, seriam uma exceção.
Essa semana, o REF mostrou que os quatro maiores bancos do País concentram 78,51% das operações de crédito. Em dezembro de 2017, antes da crise financeira global, este porcentual era de 54,68%. Neste período, o número de bancos atuando no Brasil diminuiu em meio ao processo de fusões e aquisições de instituições mais vulneráveis à crise.
O domínio dos quatro maiores bancos não se limita às operações de crédito. Juntas, essas instituições controlam 72,69% dos ativos e 76,35% dos depósitos.
Um dos indicadores observados pelo próprio BC é o Índice de Herfindahl-Hirschman (IHH), que mede a concentração econômica. Na área de crédito brasileira, o índice está em 1.741, o que representa uma “concentração moderada”. Mas se o índice ficar acima de 1.800, isso significará “elevada concentração”. No fim de 2007, ele estava em 1.015.
O diretor de Fiscalização do BC, Paulo Souza, afirmou durante apresentação do REF, que a instituição tem adotado medidas para que o spread – a diferença entre o custo de captação dos bancos e o que é efetivamente cobrado do consumidor – possa cair mais rapidamente. “Logicamente, um dos componentes do spread é o próprio custo de captação. Neste ponto, a própria redução da Selic (hoje em 6,50% ao ano) ajuda bastante”, afirmou o diretor. “Mas há outras ações que o BC vem tratando”.
Entre essas ações, Moura citou as mudanças promovidas nos compulsórios – a parcela dos depósitos que os bancos precisam, obrigatoriamente, deixar no BC – e o projeto do novo cadastro positivo, que tramita no Congresso. Por ele, será possível estabelecer um ranking em que os bons pagadores, em tese, terão direito a taxas de juros mais baixas.
Fonte: Estadão


Comentários

Leia também...

Policia Civil prende seis indivíduos suspeitos de serem os responsáveis pela onda de crimes acontecidos em Conchal nos últimos meses

Policia Militar e GCM de Conchal apertam o cerco contra o crime e realizam operações em Conchal

Relógios se alteraram automaticamente durante a madrugada e confundiram os usuários na manhã deste domingo (21)

"Censura" - PSOL partido aliado do PT pede para TSE suspender funcionamento do WhatsApp em todo país

Prefeitura de Conchal segue com recapeamento na Avenida João Paulo II

Sancionada lei que dispensa reconhecimento de firma e autenticação de documento em órgãos públicos

Jovens conchalenses recebem certificados de conclusão do curso da Oficina do Jornalismo F5 (2018)

“Quem tem o apoio de milhões de brasileiros não precisa pagar”, disse estrategista digital de Bolsonaro

ETEC abre inscrições para Vagas Remanescentes do 2º Módulo dos cursos técnicos de Administração e Recursos Humanos em Conchal

Menina de 11 anos é estuprada por detento ao visitar pai dentro de presídio no Ceará

Todas as Publicações

Mostrar mais