Novidade!


Quase 80% das operações de crédito no Brasil estão nas mãos de quatro bancos
Pesquisa do Banco Central afirma que Bradesco, Itaú, Caixa e Banco do Brasil concentram elevada fatia do setor de crédito no mercado.

Quase 80% das operações de crédito no Brasil estão nas mãos de apenas quatro grandes bancos: Bradesco, Itaú, Caixa e Banco do Brasil. Este é um dos dados trazidos pelo Relatório de Estabilidade Financeira (REF), divulgado ontem pelo Banco Central. Os números, referentes ao encerramento de 2017, mostram ainda que o segmento bancário brasileiro está muito próximo do limite que passa a considerar o ambiente como de “elevada concentração”.
O Banco Central sempre defendeu que há um atraso entre a baixa da Selic e o recuo dos juros efetivamente cobrados pelos bancos. Ao mesmo tempo, a instituição costuma pontuar que o nível de concentração no Brasil não é diferente do visto em outros países, como os da Europa. Os EUA, que possuem mais instituições, seriam uma exceção.
Essa semana, o REF mostrou que os quatro maiores bancos do País concentram 78,51% das operações de crédito. Em dezembro de 2017, antes da crise financeira global, este porcentual era de 54,68%. Neste período, o número de bancos atuando no Brasil diminuiu em meio ao processo de fusões e aquisições de instituições mais vulneráveis à crise.
O domínio dos quatro maiores bancos não se limita às operações de crédito. Juntas, essas instituições controlam 72,69% dos ativos e 76,35% dos depósitos.
Um dos indicadores observados pelo próprio BC é o Índice de Herfindahl-Hirschman (IHH), que mede a concentração econômica. Na área de crédito brasileira, o índice está em 1.741, o que representa uma “concentração moderada”. Mas se o índice ficar acima de 1.800, isso significará “elevada concentração”. No fim de 2007, ele estava em 1.015.
O diretor de Fiscalização do BC, Paulo Souza, afirmou durante apresentação do REF, que a instituição tem adotado medidas para que o spread – a diferença entre o custo de captação dos bancos e o que é efetivamente cobrado do consumidor – possa cair mais rapidamente. “Logicamente, um dos componentes do spread é o próprio custo de captação. Neste ponto, a própria redução da Selic (hoje em 6,50% ao ano) ajuda bastante”, afirmou o diretor. “Mas há outras ações que o BC vem tratando”.
Entre essas ações, Moura citou as mudanças promovidas nos compulsórios – a parcela dos depósitos que os bancos precisam, obrigatoriamente, deixar no BC – e o projeto do novo cadastro positivo, que tramita no Congresso. Por ele, será possível estabelecer um ranking em que os bons pagadores, em tese, terão direito a taxas de juros mais baixas.
Fonte: Estadão


Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Bandidos mantêm vitima refém por três horas em roubo à residência no Santa Luzia em Conchal

Carretinha se solta de carro e provoca grave acidente na Rodovia Wilson Finardi (SP-191) Araras/Conchal

Bandidos tentam roubar agência do Banco do Brasil em Conchal

Guarda Municipal recupera veículo roubado nesta terça-feira (22)

Bandido armado assalta comércio no Jardim Santo Antônio em Conchal. O crime aconteceu nesta sexta-feira (18). Câmeras de segurança flagraram toda a ação do criminoso. Assista vídeo...

Viagem intermunicipal Conchal/São Paulo e Conchal/ Cosmópolis recebem novos horários. Confira...

Instalação da Orion Fabricação de Estofados, do Grupo Umaflex vai gerar 250 empregos em Pernambuco

Polícia Civil captura menor de 14 anos por tráfico de drogas no Parque Industrial em Conchal

CNH, cadeirinha, farol: veja mudanças aprovadas na lei de trânsito e que vão à sanção de Bolsonaro

Carreta tomba no retorno da alça de acesso da Rodovia Anhanguera em Araras, SP

Todas as Publicações

Mostrar mais