Novidade!

Tribunal tranca ação contra executivos pelo desastre de Mariana, MG





Os desembargadores da 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região decidiram trancar a ação penal para o crime de homicídio contra executivos da Vale, Samarco e BHP Billiton por causa da tragédia de Mariana (MG). As informações foram divulgadas pelo jornal O Estado de S.Paulo.

Os acusados não vão mais a júri popular e fica mantido o processo para os crimes ambientais e de inundação.

De acordo com o relator do caso, Olindo Menezes, o MPF (Ministério Público Federal) relatou o crime de inundação, mas não apontou elementos para configurar homicídio. O voto foi acompanhado pelos desembargadores Cândido Artur Medeiros Ribeiro Filho e Néviton Guedes.

A tragédia de Mariana ocorreu em 5 de novembro de 2015. No dia 20 de outubro de 2016, 21 pessoas ligadas às três mineradoras foram acusadas pela Procuradoria da República de Minas pelo crime de homicídio qualificado. A eles também foram imputados crimes ambientais, inundação, desabamento e lesões corporais leves.

A Samarco, Vale e BHP Billiton, responsáveis pela barragem que rompeu, respondem por 12 crimes ambientais.




Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Tribunal rejeita contas de 2016 do ex-prefeito Valdeci A. Lourenço e processo é encaminhado para Câmara Municipal de Conchal

CARNAVAL - COMUNICADO DO CONSELHO TUTELAR DE CONCHAL

Vídeos - Praias do litoral norte de São Paulo são atingidas por forte ressaca

Tradicional “Bloco das piranhas” desfila nesta terça-feira em Conchal

Região de Campinas oferece 341 vagas de emprego em 12 cidades; veja a lista de cargos

Cabine de caminhão com 2 ocupantes de Mogi Guaçu é arrancada em acidente

Americano morre ao tentar provar que a Terra é plana. Veja Vídeo (Cenas Fortes)

ARTESP divulga vagas de empregos do Programa de Concessões Rodoviárias

Viroses Pós Carnaval - Especialista Alerta Sobre as Viroses que Podem ser contraídas no Carnaval

Todas as Publicações

Mostrar mais