Operação Olhos de Lince reprova 2.560 bombas no 1º quadrimestre em SP


Técnicos do Ipem-SP fiscalizaram 2,5 mil postos em todo o Estado; reprovação atinge 7,26% do total.

Reprodução internet 



No primeiro quadrimestre de 2019, de janeiro a abril, o Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP), autarquia do Governo do Estado que tem como finalidade proteger o consumidor, fiscalizou 2.595 postos de combustíveis no Estado de São Paulo, durante a operação especial Olhos de Lince, voltada ao combate às fraudes nas bombas medidoras de combustíveis.

Foram verificadas 37.377 unidades durante as operações especiais, das quais 2.560 (7,26% do total) foram reprovadas.

A listagem dos postos autuados (com endereços e irregularidades encontradas) está disponível nestelink.

O objetivo da Olhos de Lince é identificar eventuais fraudes em bombas de combustíveis. Quando encontrados indícios de fraude, é feita apreensão e interdição das bombas e os fiscais identificam qual permissionária presta serviço naquele estabelecimento.


Após isso é feito um levantamento nas atividades realizadas por esta permissionária, não só naquele posto como também em outros. Caso seja constatada alguma irregularidade é aberto um processo administrativo propondo o descredenciamento desta permissionária. Detectada a fraude é revogada sua autorização de manutenção de bombas de combustíveis.

O material coletado é periciado em laboratório do instituto com emissão de laudo direcionado à Secretaria da Fazenda para cassação do cadastro no ICMS e também é enviado ao Ministério Público.

O posto com irregularidade tem dez dias para apresentar defesa junto ao instituto. De acordo com a lei federal 9.933/99, as multas podem chegar a R$ 1,5 milhão.


A fiscalização

Diariamente, as equipes de fiscalização do Ipem-SP verificam as bombas dos postos de combustíveis dos municípios do Estado de São Paulo por meio das suas 14 regionais no interior, litoral e Grande São Paulo e mais quatro nas regiões norte, sul, leste e oeste da capital.

De janeiro a março de 2019 o Ipem-SP, durante as ações de rotina, fiscalizou 1.787 postos de combustíveis no Estado. Foram verificadas 22.963 bombas de combustíveis com 1.558 reprovações. Em 2018, os técnicos fiscalizaram 8.136 postos nessas ações e verificaram 125.379 bombas de combustíveis, das quais 7.486 foram reprovadas.


No combate às fraudes metrológicas, o Ipem-SP criou a Operação Especial Olhos de Lince em 2016. De janeiro a abril de 2019 o Ipem-SP fiscalizou 2.595 postos de combustíveis no Estado. Foram verificadas 37.377 bombas de combustíveis com 2.560 reprovações. Foram emitidos 521 autos de infração.

Em 2018 as equipes do instituto fiscalizaram, durante a operação especial, 329 postos, verificaram 4.463 bombas e reprovaram 595.

Para o Ipem-SP fechar ainda mais o cerco contra os fraudadores, a instituição integrou-se à ação do Governo do Estado, denominada “De Olho na Bomba”, que visa o combate de fraudes em combustíveis e sonegação fiscal. Também integram esta ação, Procon, Secretaria Estadual da Fazenda, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), por meio do seu escritório regional, Polícia Civil e, no caso da capital, a Prefeitura de São Paulo.

Além de autuar o estabelecimento, o Ipem-SP apura a responsabilidade da oficina encarregada da manutenção das bombas de combustíveis. Caso seja comprovada a participação da oficina na fraude, é revogada sua autorização de manutenção de bombas de combustíveis.

Conteúdo: Beto Ribeiro Repórter




Comentários

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Polícia indicia pai e mãe de adolescente que pediu socorro pelas redes sociais após ser estuprada

Polícia Civil de Conchal apreendeu na tarde desta terça-feira (16), traficante com 45 papelotes de cocaína, 25 pedras de crack e 31 reais em espécie

Polícia Civil investiga mais dois padres por suspeita de abuso sexual da diocese de Limeira, SP

Liberação de saque de contas do FGTS será anunciada na próxima semana, diz ministro da Casa Civil

Vereadores de Conchal aprovam relatório para a abertura de processo de cassação do vereador Rodinei Ferreira da Silva.

Líder de grupo terrorista revela plano para matar Bolsonaro

ANP libera venda direta ao consumidor de botijão de gás de 13 kg

Governo de São Paulo muda identidade visual de viaturas da PM

Funcionários da concessionária Arteris/Intervias entram em greve por tempo indeterminado

Governo pretende liberar R$ 42 bilhões das contas ativas do Fundo de Garantia

Todas as Publicações

Mostrar mais