Novidade!

Mulher rouba bebê em hospital, depois de sofrer aborto e não contar ao namorado, diz polícia


Estudante universitária de 23 anos usou bolsa para levar recém-nascido. Criança foi encontrada após cerca de seis horas de buscas.




Por G1 DF e TV Globo

A mulher de 23 anos que foi presa após roubar um bebê recém-nascido no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), no Distrito Federal, teria sofrido um aborto espontâneo há cerca de três meses. A informação foi repassada pelo delegado Luiz Henrique Sampaio da Delegacia de Repressão a Sequestros, nesta quinta-feira (28).

Segundo o delegado, a estudante de fonoaudiologia Daiane Fonseca dos Santos disse que cometeu o crime porque estava “psicologicamente abalada” e para “não decepcionar o namorado” após o aborto. As investigações apontam que ela premeditou o roubo e circulou no hospital por cerca de 12 horas antes do crime.

O pequeno Miguel Pietro, que nasceu na quarta-feira (27), foi levado pela suspeita por volta das 3h da manhã desta quinta. A mulher se apresentou como enfermeira e colocou o bebê dentro de uma bolsa. O recém-nascido foi encontrado por volta das 9h30, no Hospital Regional de Ceilândia (HRC).

O crime

Segundo o delegado Luiz Henrique Sampaio, Daiane disse que simulou o fim da própria gravidez com a intenção de roubar uma criança. Vestindo o jaleco ao qual tem acesso por ser estudante de fonoaudiologia, ela teria visitado o HRT pelo menos três vezes para “estudar o local”.

“Ela entende um pouco de rotina de hospital, de como funciona”, afirma o delegado.

Ainda de acordo com o responsável pelas investigações, mulheres que também estavam internadas na maternidade do HRT reconheceram Daiane e afirmaram que foram abordadas pela jovem.

“Ela fazia perguntas e tentava estabelecer uma relação de confiança com as mães. Ela esperou uma oportunidade [de levar uma criança] e só conseguiu de madrugada , com essa mãe que estava desacompanhada”, conta o delegado.

Parto simulado

Após pegar a criança, Daiane colocou o bebê em uma bolsa e saiu do local. No depoimento, a mulher disse que, depois do crime, simulou um parto em casa para enganar a família. Segundo a polícia, o banheiro da residência estava cheio de sangue e panos sujos.

Depois do parto simulado, ela chamou o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), que a encaminhou ao Hospital Regional de Ceilândia. No local, servidores desconfiaram da história contada pela mulher, já que a criança estava limpa e havia tomado vacinas. Por isso, chamaram a polícia.

Os investigadores ainda não conseguiram determinar como Daiane entrou no hospital. Segundo o delegado Luiz Henrique Sampaio, a instituição não tinha câmeras em funcionamento. “Possivelmente ocorreu uma falha na segurança do hospital”, afirmou.

Em nota, a Secretaria de Saúde do DF afirmou que “preza pela segurança dos pacientes e que tem uma rigorosa vigilância”.

Família desconfiou

Após o aborto, Daiane teria tentado engravidar novamente. De acordo com o delegado, ela suspeitava de uma nova gravidez, mas um exame recente apresentou resultado negativo. “Isso mexeu com o emocional dela”, disse o delegado.



Parentes que moram com a jovem contaram à polícia que foram acordados com o choro da criança. Após ser questionada por eles, Daiane disse que estaria usando uma cinta para esconder a gravidez.

“Eles ficaram desconfiados e resolveram pedir o socorro ao Samu”, afirmou o delegado.

O desaparecimento

O caso ganhou repercussão no início da manhã desta quinta (28), quando uma tia da criança, Raisa Almeida, publicou nas redes sociais um texto comunicando o desaparecimento do bebê.

Na publicação, a família afirma que a mãe de Miguel viu a suposta sequestradora, que estaria usando um jaleco. “Alta magra, cabelo preto, calça preto, blusa cinza e sapato roxo”, diz trecho da descrição da suspeita. “Um aspecto de mulher jovem”.

A tia contou que a irmã entregou o bebê à funcionária para a realização de exames.

“Ela é mãe de primeira viagem, não sabia como funcionava. Pediram para medir a glicemia às 3h e ela entregou o bebê. Ela chegou a ir atrás, mas perdeu de vista” contou.

Ainda de acordo com a família, a mãe do bebê estava sozinha porque o hospital não permitiu que a avó da criança a acompanhasse durante a noite.

O que diz o HRT

Após o caso, a Secretaria de Saúde do DF emitiu nota. Confira íntegra abaixo:

“A direção do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) informa que o recém-nascido sequestrado na unidade, na madrugada desta quinta-feira (28), foi encontrado e já está com mãe.

A suspeita do crime deu entrada com a criança no Hospital Regional de Ceilândia (HRC), nesta manhã, alegando que parto ocorreu em casa. Na ocasião, os profissionais de saúde de Ceilândia constataram que o menor não havia nascido fora de unidade hospitalar e já tinha características de atendimento médico, como o corte do cordão umbilical e a marca da vacina BCG.

Com o alerta do desaparecimento da criança em toda a rede pública de saúde, de imediato, a direção do HRC acionou as autoridades competentes, que identificaram o bebê e a suspeita. O recém-nascido está internado em Ceilândia, recebendo toda a assistência necessária. De lá, juntamente com a mãe, receberá alta – procedimento que ainda não tem data prevista.

SEGURANÇA – Na ocasião do desaparecimento da criança, o HRT contava com 15 seguranças e um supervisor. Ao tomar conhecimento do fato, todas as equipes do hospital foram mobilizadas, e os setores, revistados. As polícias Militar e Civil também foram acionadas.

A direção da unidade ressalta que preza pela segurança dos pacientes e que tem uma rigorosa vigilância. Com a ocorrência desse fato, os protocolos estão sendo revistos nesta manhã para aprimorar o trabalho e garantir que situações como essa não se repitam.

A Secretaria de Saúde, por fim, lamenta o ocorrido e reforça a importância do trabalho em rede, como ocorreu, possibilitando o desfecho do caso o mais rapidamente possível, e com final positivo. Destaca, ainda, que vai trabalhar para aprimorar a segurança nas unidades de saúde.”





Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Quadrilha tenta assaltar bancos e troca tiros com a polícia em madrugada de terror em Araraquara, SP

Mulher de 36 anos é morta a tiros pelo filho adolescente em SP

Colisão traseira termina em capotamento de veículo e uma vítima leve na Rodovia Anhanguera

Cachorro que fugiu de casa teve a melhor reação quando foi “preso” pela polícia

ROCAM e Força Tática estouram ponto de preparo e venda de drogas e detém quatro por tráfico em Araras, SP

ROCAM apreende menor por tráfico de drogas após receber informações de PM de folga em Araras, SP

Policia Civil recupera moto furtada na casa de menor

Veja quais foram os candidatos eleitos a vereador (a) em Conchal

Força Tática prende traficante de drogas com apoio da ROCAM durante patrulhamento em Araras, SP

Ônibus Circular em Conchal recebe novos horários

Todas as Publicações

Mostrar mais