Novidade!

Senado começa a discutir aposentadorias especiais nesta segunda


Conteúdo: ‘Jovem Pan’

Fica pronto, nesta segunda-feira (4), o texto do projeto que define regras de aposentadoria especial por exposição à agentes nocivos e atividades perigosas. A proposta faz parte de um acordo costurado pelo líder do governo no Senado Federal, Fernando Bezerra Coelho (MDB), para garantir a aprovação da reforma da Previdência em segundo turno sem alterações no texto.

Na ocasião, um destaque apresentado pelo senador Paulo Paim (PT), que tratava desse tema, dividiu o plenário e colocou em risco a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) como ela estava. O projeto, redigido pelo governo e relatado pelo senador Esperidião Amin (PP) define as situações em que determinadas categorias vão ter direito à aposentadoria especial – entre elas, mineiros que trabalham no subsolo, eletricistas que operam fios de alta tensão e vigilantes armados.

De acordo com o texto, a Justiça só vai conceder esse tipo de aposentadoria de acordo com a atividade exercida por cada trabalhador, e não simplesmente pela profissão. É o que indica o secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. “No projeto deixamos claro quais são as condições que os agentes nocivos impactam na atividade laboral e isso, na nossa opinião, vai dirimir com as questões judiciais e deixar mais claro. E vai ser bom para quem exerce, de verdade, essa atividade, e bom para a Previdência, evitar esse vácuo judicial.”
Segundo o governo, atualmente, mais de 70% das aposentadorias especiais são dadas por decisões judiciais. A advogada especializada em direito do trabalho e previdenciário, Cristiane Grano Haik, explica o impasse em torno da questão. “A Justiça concede aposentadoria especial para pessoas que trabalham em situações periculosas e, por outro lado, existe, mencionado na lei, o adicional de risco, mas que nunca teve regulamentação.”

PEC paralela

Ainda nesta semana, na quarta-feira (6), deve ser votada, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a PEC paralela da reforma da Previdência, que tem como ponto principal a inclusão de servidores estaduais e municipais nas novas regras de aposentadoria. O relator, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), destaca outro ponto do texto: a criação de um benefício universal infantil.

De acordo com o tucano, a proposta não geraria custos adicionais aos cofres públicos, pois poderia ser financiada unificando diversas políticas já existentes focadas no público infantil. O governo espera votá-la, em plenário, também na quarta-feira.



Clique na imagem e faça a sua inscrição!

Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Campanha da Acico distribui quase R$ 60 mil em prêmios

Vagabundo rouba cadeirante e acaba preso em flagrante pela PM em Conchal, SP

Prefeitura de Conchal se prepara para vacinação contra Covid-19 – O F5 entrevistou o diretor do departamento de saúde do município. Wagner Lozano deu mais detalhes sobre esse e outros assuntos relacionados ao setor

Casal se perde no meio do mato e é resgatado pela Polícia Militar na zona rural de Araras, SP

Quem são as pessoas que não podem tomar vacina contra covid

Polícia Militar desmonta centro de associação ao tráfico em Leme

Polícia Militar aborda veículo com “pé” para fora do porta-malas na Rodovia Anhanguera em Araras, SP

Prefeitura de Conchal inicia obras de manutenção no prédio do Cemec

Força Tática captura procurado por tráfico de drogas e realiza flagrante de porte Ilegal de arma de fogo durante patrulhamento em Araras, SP

Covas pede ao Ministério da Saúde que professores sejam priorizados na vacinação contra Covid-19

Todas as Publicações

Mostrar mais