Novidade!

Família diz que hospital não informou da morte de paciente com suspeita de Covid-19; filha descobriu que pai morreu há 50 dias



Um paciente do Hospital Municipal Salgado Filho morreu no dia 1 de julho e a família diz que só ficou sabendo nesta quarta-feira (19), mais de um mês e meio depois do óbito.

De acordo com a filha do paciente Paulo César dos Santos Oliveira, ele estava internado com suspeita de Covid-19, desde o dia 25 de junho, sem nenhum contato com os familiares, pois em casos de pacientes infectados pelo novo coronavírus, não há visita.




No entanto, segundo a família, durante todo este tempo eles estiveram em contato com a unidade e enviavam mensagens perguntando se o paciente estava bem e recebia resposta do hospital de que o senhor Paulo passava bem.

De acordo com a filha Tainara Oliveira, muitas vezes eles iam até o Hospital Salgado Filho para levar roupa de cama limpa e ainda pegavam lençol sujo, levavam para casa, lavavam e devolviam para o hospital.




A mulher de Paulo diz que soube da morte do marido quando foi levar o filho, que estava passando mal, ao hospital. Ao chegar na unidade, a filha Taynara disse que resolveu tentar ver o pai.

"Entrei lá, olhei leito por leito e ele não estava lá. Aí, a enfermeira falou: você vai na recepção e pede para puxarem o nome dele para saber onde ele está. Quando fui à recepção, ele não estava mais no sistema. E aí fiquei preocupada", disse a filha de Paulo.




Foi então que ela descobriu que o pai havia morrido no dia 1° de julho. "Eu recebi várias mensagens dizendo que ele estava bem, estava estável. Mas aí, não foi nada disso, que eu cheguei aqui nesse momento e vi. Lá no caderno ta escrito que ele morreu dia 1º do 7 de 2020 e foi enterrado dia 5 do 8 de 2020. Um mês e quatro dias pra ser enterrado. E aí, até agora, eu não entendi quem enterrou, como que enterrou porque os documentos dele todinhos está comigo", disse Tainara.

A família não sabe por quem Paulo Cesar foi enterrado. Paulo César foi sepultado no cemitério de Inhaúma, na Zona Norte.




Segundo a direção do hospital, como não conseguiu contato por telefone, enviou um telegrama para a família do paciente no mesmo dia do óbito.

"O telegrama é enviado quando a unidade não consegue fazer contato por telefone.A unidade constatou também que o nome do paciente não consta mais na planilha diária de informação aos familiares desde a data do óbito. O hospital está investigando a informação de que a família teria recebido boletins diários. A direção garante que tudo será investigado, inclusive se houve algum reconhecimento do corpo", diz a nota.

*Com informações de G1.




Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Quadrilha tenta assaltar bancos e troca tiros com a polícia em madrugada de terror em Araraquara, SP

Mulher de 36 anos é morta a tiros pelo filho adolescente em SP

Colisão traseira termina em capotamento de veículo e uma vítima leve na Rodovia Anhanguera

Cachorro que fugiu de casa teve a melhor reação quando foi “preso” pela polícia

ROCAM e Força Tática estouram ponto de preparo e venda de drogas e detém quatro por tráfico em Araras, SP

ROCAM apreende menor por tráfico de drogas após receber informações de PM de folga em Araras, SP

Policia Civil recupera moto furtada na casa de menor

Veja quais foram os candidatos eleitos a vereador (a) em Conchal

Força Tática prende traficante de drogas com apoio da ROCAM durante patrulhamento em Araras, SP

Ônibus Circular em Conchal recebe novos horários

Todas as Publicações

Mostrar mais