Novidade!

WhatsApp mostra novo aviso de privacidade no Brasil; veja o que muda




O WhatsApp começou a divulgar, na última semana, um novo Aviso de Privacidade na página inicial do aplicativo para usuários no Brasil. O termo de privacidade foi modificado em decorrência da nova Lei Geral de Proteção a Dados Pessoais (LGPD), que entrará em vigor no país em maio de 2021 e tem a finalidade de garantir mais segurança e transparência às informações pessoais coletadas por empresas públicas e privadas.

A nova legislação propõe dar mais autonomia aos cidadãos, dando o direito de consultar seus dados gratuitamente, bem como de que maneira eles são armazenados pelas empresas. Se desejarem, os usuários podem até mesmo optar por exclui-los das plataformas em que foram coletados. A nova regulamentação foi sancionada em 2018 e estava prevista para entrar em vigência neste mês, mas foi adiada devido à pandemia de Covid-19.





Com o novo Aviso de Privacidade, o WhatsApp garante aos usuários brasileiros "o direito de acessar, corrigir, portar, eliminar seus dados, além de confirmar que tratamos seus dados", e também afirma que "em determinadas circunstâncias, você também tem o direito de se opor e restringir o tratamento de seus dados pessoais", indo de acordo com o determinado pela lei.

Nas políticas de privacidade e de uso do app, o WhatsApp garante que não guarda mensagens em nenhum de seus servidores e que estas ficam salvas apenas nos celulares dos próprios usuários. As mensagens enviadas são excluídas assim que são entregues. Com a tecnologia da criptografia de ponta-a-ponta, nem o WhatsApp nem terceiros são capazes de ler conversas trocadas no aplicativo.





Além disso, o mensageiro pode coletar algumas informações do usuário para melhorar o serviço oferecido, incluindo dados de localização, de registro, status, falhas e desempenho. O app também coleta informações sobre o dispositivo, como modelo e sistema operacional, conexões de rede móvel, endereço de IP e número de telefone. Segundo o WhatsApp, as informações são utilizadas para "operar, fornecer, aprimorar, entender, personalizar, dar suporte e comercializar" os serviços oferecidos pela marca.

O WhatsApp também utiliza serviços de terceiros, como no recurso de pagamentos pela plataforma. Sendo assim, determinadas informações precisam ser repassadas para as instituições financeiras, já que, segundo a companhia, nem o WhatsApp nem o Facebook são capazes de receber, transferir, processar ou armazenar fundos de transações realizadas pela plataforma, procedimentos esses que são atribuídos às instituições financeiras terceiras.





O WhatsApp também afirma que todas essas informações de posse do mensageiro são utilizadas como forma de "nos ajudar a operar, executar, aprimorar, entender, personalizar, dar suporte e anunciar nossos serviços".

*Com informações de Tech Tudo.






Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Bandidos mantêm vitima refém por três horas em roubo à residência no Santa Luzia em Conchal

Carretinha se solta de carro e provoca grave acidente na Rodovia Wilson Finardi (SP-191) Araras/Conchal

Bandidos tentam roubar agência do Banco do Brasil em Conchal

Guarda Municipal recupera veículo roubado nesta terça-feira (22)

Viagem intermunicipal Conchal/São Paulo e Conchal/ Cosmópolis recebem novos horários. Confira...

Instalação da Orion Fabricação de Estofados, do Grupo Umaflex vai gerar 250 empregos em Pernambuco

Bandido armado assalta comércio no Jardim Santo Antônio em Conchal. O crime aconteceu nesta sexta-feira (18). Câmeras de segurança flagraram toda a ação do criminoso. Assista vídeo...

CNH, cadeirinha, farol: veja mudanças aprovadas na lei de trânsito e que vão à sanção de Bolsonaro

Carreta tomba no retorno da alça de acesso da Rodovia Anhanguera em Araras, SP

Mulher internada com fratura de calcanhar 'some' de hospital no Méier e aparece morta no Cachambi

Todas as Publicações

Mostrar mais