Comissão aprova a volta da obrigatoriedade dos extintores ABC
Quase dois anos após a polêmica da obrigatoriedade ou não dos extintores de incêndio do tipo ABC em automóveis, a Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados voltou a aprovar o retorno do extintor como item obrigatório.                          Os extintores do tipo ABC iriam se tornar obrigatórios a partir de outubro de 2015. Na época, a medida provocou um grande aumento nas vendas do equipamento.                     Duas semanas antes do prazo, porém, a resolução 556/15 do Contran tornou sua presença apenas facultativa. Na época, o Contran justificou a decisão com um estudo de 90 dias que constatou a baixa incidência de incêndios dentro do volume total de acidentes com veículos, e que o uso do extintor sem preparo representaria mais risco ao motorista do que o incêndio em si.  
   
                                                                                              
O novo texto do Projeto de Lei 3404/15 do deputado Moses Rodrigues (PMDB-CE) questiona essa justificativa.                                                                                                           Para o deputado, “não é plausível que o Contran, de um momento para outro, entenda que o extintor de incêndio não é mais considerado item de segurança do veículo e decida tornar facultativo o seu uso, deixando vulneráveis os ocupantes dos veículos em caso de incêndio”.  O relator do projeto, o deputado Remídio Monai (PR-RR), concorda com o argumento de Rodrigues. Segundo ele, “o custo do extintor de incêndio é insignificante em relação ao custo do próprio veículo, ainda mais se considerarmos os benefícios advindos de sua adequada utilização”.                                               Hoje encontráveis por até R$ 50,00, na época os extintores do tipo ABC chegaram a custar R$ 150,00 devido à intensa procura, ocasionando até mesmo fila de espera e acusações de fraudes.                                                                                                                 Logo após a decisão do Contran de tornar o equipamento apenas facultativo (mantendo a obrigatoriedade apenas para veículos de transporte como ônibus, caminhões, triciclos de cabine fechada e veículos destinados ao transporte de produtos inflamáveis), a procura despencou drasticamente.                                                            Após a aprovação pela Comissão de Viação e Transportes, o projeto 3404/15 ainda precisa ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania antes de ser votado pelo Plenário.


Fonte: Revista Quatro Rodas



Comentários

Leia também...

Menina de 11 anos é estuprada por detento ao visitar pai dentro de presídio no Ceará

"Censura" - PSOL partido aliado do PT pede para TSE suspender funcionamento do WhatsApp em todo país

“Quem tem o apoio de milhões de brasileiros não precisa pagar”, disse estrategista digital de Bolsonaro

Rotary Club de Araras Sul organiza a 1a. Noite Carré e Picanha

Moro diz que não tentou influenciar eleição e acusa petistas de intimidação

Após Sindicância Interna ex- diretora de educação de Conchal Mariana Mani Moura foi exonerada do quadro de servidores do município

Bolsonaro acrescenta em seu plano de governo o 13º salário para os beneficiários do Bolsa Família

Acreditando que os brasileiros têm memória fraca e subestimando a inteligência do eleitor, PT muda estratégia e tira nome de Lula e cor vermelha de campanha

Saúde de Conchal promove Campanha Outubro Rosa

Todas as Publicações

Mostrar mais