Novidade!

Uma solução velha para um problema novo


Por: Pedro Henrique de Melo




O ano de 2018 foi marcado, principalmente, pela corrida eleitoral e os debates sobre as propostas e ideias  dos presidenciáveis. Um dos temas mais levantados foi sobre reformas em diversos setores, que gerou muita divergência e conclusões equivocadas. O artigo de hoje é sobre a principal proposta para reforma tributária, que ao meu ver, é umas das mais importantes para o desenvolvimento do Brasil.

Atualmente nosso sistema se mostra ineficaz e injusto, composto por um complexo aglomerado de impostos indiretos(PIS, COFINS, ICMS, IPI, ISS).O IVA(imposto sobre valor agregado/acumulado) foi a proposta mais sólida e coerente sugerida para reforma, e foi defendido por candidatos como,Geraldo Alckmin, Ciro Gomes e Marina Silva. A taxação desse imposto tem sido a mais utilizada por diversos países para tributação do consumo(No mercosul só o Brasil não usa um sistema unificado).


A cobrança não cumulativa das operações de bens e serviços praticadas entre empresas até consumidor final é a forma mais eficiente de tributar o consumo, sendo reconhecida por diversos especialistas, como Pérsio Arida, Gustavo Franco e Ioschpe. Porém alguns ainda o considera ultrapassado e velho.

Trata-se de um sistema mais simples, prático tanto para empresas quanto o consumidor final e transparente. De forma simples e resumida, o IVA incide em dois casos diferentes:  em operações entre empresas; nas operações de vendas para o consumidor final. No primeiro momento não há efetivamente tributação, no segundo sim, sendo repassado ao Estado de forma mais transparente, diretamente e portanto, com menos chance de haver corrupção.

Para melhor compreensão, temos um exemplo numérico: um produto custa R$100 e o imposto é de 20%, portanto, seu preço final é de R$120. Desse valor, R$20 seriam repassados diretamente para o governo que distribuiria para os estados e municípios.
Atualmente, o imposto é embutido no preço e é difícil realizar o cálculo preciso, pois a taxação incide em processos e o consumidor tem dificuldade em saber quanto daquilo que ele pagou é imposto e o quanto para a União, estados e municípios.


De modo concreto, o problema incidente à cobrança do IVA na nossa economia globalizada e nova restringe-se a ‘‘uma situação específica, que é a importação  de intangíveis por pessoas físicas. E há várias formas de equacionar essa dificuldade sem reinventar a roda.’’

‘‘Enquanto o IVA não é implementado, visando facilitar para o contribuinte quanto ele paga de imposto em cada compra, o governo criou a Lei de Imposto na Nota(Lei nº12.741/12, de 8 de dezembro de 2012), que obriga os estabelecimentos a informar nas notas fiscais quanto foi pago de imposto. A lei já está em vigor, porém a forma de calcular os impostos é tão complicada que muitas notas fiscais exibem apenas uma estimativa do valor, já que é muito difícil saber exatamente quanto foi cobrado naquela compra’’, dados blog Sage.

O IVA precisa se modernizar sim, através, por exemplo, da utilização dos instrumentos de pagamento na cobrança do imposto. Porém é possível fazer isso sem abandonar suas principais características, que são a incidência sobre base ampla, a não cumulatividade e a cobrança do destino.

Na reforma tributária do consumo no Brasil devemos repensar o desenho dos fatos geradores, porém isso envolve principalmente rever a cultura jurídica que nos pertence para o mundo globalizado(comunicação), Nada tem que ver com a inovação tecnológica propriamente dita. Caso o IVA fosse aprovado, o país unificaria em apenas um imposto sua regulamentação, eliminaria os conflitos de competência, diminuiria burocracia, extinguiria a guerra fiscal e encerraria os problemas relacionados com as tributações dentro do país e com o resto do mundo.

Fontes:
Valor Econômico
Tributação na origem e destino – Valcir Gassen
Sage Blog
Estadão




Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Conchal iniciou nesta quinta-feira (21) a vacinação contra a Covid-19

Policia Militar captura foragido da justiça no Parque Industrial em Conchal

Professor pede ajuda após cadelinha ser jurada de morte

Criança de 10 anos engravida de gêmeos após ser estuprada pelo padrasto, diz polícia

Quatro detentos fogem do Presídio de Segurança Máxima

Governo de SP endurece quarentena, adia volta às aulas e fecha bares, restaurantes e comércio aos finais de semana

MULHER PULA DE CARRO EM MOVIMENTO APÓS NAMORADO AMEAÇAR JOGAR VEÍCULO DA SERRA

Festa tem aglomeração de centenas de pessoas sem máscara em Leme, SP

Reino Unido diz que variante do coronavírus pode ser mais letal

Ônibus Circular em Conchal recebe novos horários

Todas as Publicações

Mostrar mais