Mortes por dengue chegam a quase 300 no Brasil, o triplo do mesmo período de 2018

Casos prováveis da doença totalizam 965,04 mil até 27 de maio e são mais numerosos nos estados de São Paulo e Minas Gerais, de acordo com o Ministério da Saúde.




O número de mortes por dengue no Brasil é quase três vezes maior neste ano em relação ao mesmo momento de 2018. De acordo com o boletim do Ministério da Saúde datado de 5 de junho, as mortes por dengue confirmadas até 27 de maio eram 295. No mesmo momento do ano passado, o país havia registrado 99 mortes pela doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.


São Paulo e Minas Gerais são os estados mais afetados: juntos, somam 68,3% dos casos prováveis da doença no país, ou seja, casos ainda não confirmados em laboratório.

De acordo com o boletim da semana epidemiológica 21, o estado de São Paulo teve mais de 320 mil casos prováveis de dengue até o fim de maio de 2019 - enquanto neste momento do ano passado eram pouco menos de 9 mil.

Já Minas Gerais registrou mais de 322 mil casos no mesmo período deste ano, ante 20,2 mil até o fim de maio de 2018.

Em todo o Brasil, o número de casos prováveis de dengue é cinco vezes maior do que no mesmo período do ano anterior, num total de 965,04 mil.

Proporcionalmente, outros estados viram a doença se expandir de forma significativa. O Paraná registrou um salto de quase 4.000% nos casos prováveis, para 37 mil. Também em Tocantins, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Roraima e no Distrito Federal o número de casos prováveis aumentou mais de 1.000%.

As estimativas do ministério, entretanto, indicam que a incidência das doenças causadas pelo Aedes aegypti deve começar a cair ao longo deste ano.

Chikungunya e zika

O mesmo boletim do Ministério da Saúde contabiliza os casos de chikungunya e zika no Brasil.

Para a chikungunya, são 12 mortes registradas até o momento (1 na Bahia, 10 no Rio de Janeiro e 1 no Distrito Federal). Porém, há 42 mortes ainda em investigação no estado de Pernambuco. Já são mais de 53 mil casos prováveis da doença, abaixo dos 57 mil registrados no mesmo período do ano passado. O Rio de Janeiro é o estado com maior número de casos: quase 36 mil.

Quanto à zika, não há mortes confirmadas até o fim de maio de 2019, mas são 6,1 mil casos prováveis em todo o país. No mesmo período de 2018, foram registrados 4,88 mil casos prováveis.




Comentários

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Prefeitura de Conchal lança edital para concurso público

Vídeo - Veículo pega fogo próximo ao trevo de Conchal

Concursos abertos na região têm mais de 100 vagas para todos os níveis de escolaridade

Casal é preso em Vinhedo por manter idosa em cárcere privado por 20 anos

Com importantes contribuições da iniciativa privada Guarda Municipal faz reforma na sede

Sem saber de gravidez, jovem dá à luz após procurar hospital com dores abdominais em Sorocaba

Adeus mamografia: novo exame de sangue detecta precocemente o câncer de mama

Departamento Municipal de Saúde de Conchal realiza ação neste sábado (29) para intensificar vacinação contra a febre amarela

Associação cosmopolense cria projeto de lei popular para diminuir salário de vereadores

Crianças fazem abaixo-assinado para que McDonalds e Burger King acabem com brinquedos de plástico nos brindes de refeições

Todas as Publicações

Mostrar mais