Criação de delegacia para combater corrupção fortalece Polícia Civil



O combate à corrupção no Brasil ganhou um importante aliado com o anúncio do ministro Sergio Moro sobre a necessidade de criação de delegacias de polícia focadas na investigação destes crimes. A Polícia Judiciária é amplamente capacitada para atuar nos casos de corrupção nos estados e é uma valiosa arma no combate aos crimes de colarinho branco, que nos últimos anos causaram um rombo enorme nos cofres públicos e trouxeram prejuízos estratosféricos à nação.

A medida anunciada pelo governo, que estabelece critérios para o rateio da verba do Fundo Nacional de Segurança entre os estados, mostra que o Brasil está finalmente caminhando na direção certa. E a Polícia Civil pode contribuir ativamente para ajudar a moralizar as instituições por meio de sua atribuição legal, que é a investigação de todos os tipos de crime.

Para se ter uma ideia dos danos provocados pela corrupção, somente os casos investigados pela Polícia Federal representaram um prejuízo de R$ 123 bilhões nos últimos quatro anos.

A PF prende uma pessoa por corrupção ou crime financeiro a cada nove horas no Brasil.

O número de detidos por crimes deste tipo aumentou quase 50% em 2018, na comparação com o ano anterior. Os números mostram que 922 pessoas foram presas por crimes do colarinho branco no ano passado, o maior número de detenções desde 2014.

É importante lembrar que, atualmente, apenas delegados de polícia de uma única delegacia do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), da Polícia Civil, têm a atribuição legal de investigar os crimes contra a administração pública, na Capital.

Um decreto assinado em maio de 2009 pelo então governador José Serra determinou que o trabalho de elucidação desses delitos fosse exclusividade do DPPC. Nos demais municípios, a investigação de tais crimes fica a cargo de outras unidades não especializadas. E é aí que o problema se acirra.

Nós sabemos que a falta de efetivo e deficiências estruturais prejudicam essas investigações fora da Capital. E essa nova norma do Ministério da Justiça vem fortalecer o combate à corrupção pela Polícia Civil. Com esse investimento, a instituição terá uma maior capacidade para atuar, livre de ingerências políticas.

A notícia do ministro vem em um momento em que a Polícia Civil paulista enfrenta uma série de dificuldades, como o maior deficit da sua história, mas se posiciona de forma cada vez mais indispensável para a sociedade e vem ganhando o apoio de vários setores para conseguir investir em capacitação de seus profissionais.

Prova disso é a criação do Fundo Especial para o Combate do Crime Organizado e a Lavagem de Dinheiro (FEPCCOLD), que investirá dinheiro recuperado do crime organizado em ações de combate à lavagem de dinheiro, por exemplo.

Os policiais buscaram alternativas à situação de penúria em que se encontra a instituição para continuar desempenhando o seu papel com excelência.

O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (SINDPESP) acredita fortemente que o governador João Doria, que já demonstrou ser conhecedor dos grandes problemas que enfrentamos enquanto Polícia Judiciária, reconhecendo inclusive a injustiça salarial que se acometeu sobre a instituição, poderá recompor as injustiças anteriores a nós infligidas e viabilizar a efetiva aplicação de recursos para o retorno ao povo paulista.




Comentários

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Corpo de mulher é encontrado fora da cova e seminu: “Apavorante”

Suspeito de Roubar Joalheria em Conchal é preso pela Policia Civil

Videos - Após chuvas em Conchal, infestação de pequenos sapos assusta moradores

Policia Militar prende dois por tráfico no Parque Industrial em Conchal

Adolescente de 12 anos é estuprada dentro de escola pública em SP

Corpo de menina torturada por pai tem 37 marcas de tiros de arma de pressão, diz Conselho Tutelar

Mais um processo na conta do Presidente da Câmara conchalense - Ministério Público pede condenação do presidente da Câmara de Conchal (Robinho) por “gastos abusivos com combustível”

Justiça determina bloqueio de 407 mil reais do Presidente da Câmara Municipal de Conchal Roberson Claudino Pedro (Robinho) e de Marcelo Aparecido Mandeli, ex-assessor do presidente

Polícia de MT encontra fazenda onde onças-pintadas teriam sido filmadas mortas em caminhonete

Todas as Publicações

Mostrar mais