Google admite que escuta conversas de usuários com assistente virtual

Analistas do mundo todo contratados pela empresa escutam uma parcela das interações entre os usuários e os equipamentos da marca.


O Google admitiu na quinta-feira (11) que analistas contratados pela empresa escutam 0,2% das conversas entre os usuários e o "Assistant", o assistente virtual da empresa.

Frequentemente, empresas que oferecem esse tipo de serviço, como Amazon, Samsung e Apple, além do próprio Google, garantem que os diálogos entre os usuários e seus assistentes virtuais são privados, sendo analisados exclusivamente por sistemas de inteligência artificial.

No entanto, a admissão do Google joga luz sobre uma prática que as empresas evitam divulgar, embora seja conhecido dentro da indústria que, em menor ou maior medida, isto é algo habitual.


A revelação foi feita pelo responsavél de produtos de buscas do Google, David Monsees, que escreveu uma postagem no blog oficial da empresa como resposta a uma matéria divulgada ontem pela emissora belga "VRT NWS", que disse ter conseguido acesso a cerca de mil gravações de indivíduos anônimos que usaram o assistente virtual.

Os áudios foram enviados à emissora belga por um dos analistas contratados pelo Google no país para analisar o material. A função dele, segundo a "VRT NWS", era "compreender as particularidades e os sotaques de cada idioma em específico".

No texto, Monsees admite que a empresa conta com um "especialistas no mundo todo", cuja função é "ouvir e transcrever uma pequena parte dos diálogos para nos ajudar a compreender melhor esses idiomas".

Os áudios escutados, segundo o Google, representam apenas 0,2% do total registrado pelos sistemas. A companhia ainda garante que os fragmentos não são associados às contas dos usuários e que pede que seus funcionários não transcrevam sons ou diálogos paralelos registrados pelo sistema no momento da interação com a assistente.

No entanto, a emissora belga foi capaz de identificar endereços e outras informações sensíveis nos áudios, o que permitiu que os jornalistas entrassem em contato com as pessoas cuja voz havia sido gravada. Os usuários confirmaram que as gravações eram deles.

"Um casal de Waasmunster reconheceu imediatamente a voz de seu filho", exemplificou a "VRT NWS" na matéria em que denunciou a violação da privacidade.

O Google ainda afirmou que o assistente virtual só envia gravações após detectar que o usuário utilizou um comando específico para ativá-lo, como o "Hey Google". Além disso, a empresa assegura que o sistema dispõe de várias ferramentas para evitar "ativações falsas".

Apesar disso, a "VRT NWS" publicou 153 conversas nas quais ninguém deu a ordem de ativação para o assistente virtual, que interpretou equivocadamente que os usuários haviam dado o comando para que houvesse interação entre eles.

Entre outras coisas, a emissora belga afirmou ter ouvido nas gravações diálogos entre pais e filhos, ligações profissionais, discussões e até sons de pessoas fazendo sexo.

Conteúdo: ‘R7’



Comentários

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Polícia Civil de Conchal apreendeu na tarde desta terça-feira (16), traficante com 45 papelotes de cocaína, 25 pedras de crack e 31 reais em espécie

Polícia indicia pai e mãe de adolescente que pediu socorro pelas redes sociais após ser estuprada

Vídeo - Segundo incêndio em menos de um ano acontece no setor de meio ambiente em Conchal

Polícia Civil investiga mais dois padres por suspeita de abuso sexual da diocese de Limeira, SP

Vereadores de Conchal aprovam relatório para a abertura de processo de cassação do vereador Rodinei Ferreira da Silva.

FaceApp: App que envelhece rosto dos usuários vira febre na internet; veja como usar

Homem atacado por onça-pintada é salvo por 5 cachorro em MS

Liberação de saque de contas do FGTS será anunciada na próxima semana, diz ministro da Casa Civil

Descoberta a origem de vídeo de drone com fogos de artifício

Líder de grupo terrorista revela plano para matar Bolsonaro

Todas as Publicações

Mostrar mais