Pular para o conteúdo principal

90 dias Grátis

Já começaram a valer as novas regras nas leis de trânsito. Acesse e veja as principais mudanças

Suspensão da CNH por pontos   Haverá uma escala com três limites de pontuação, para que a CNH seja suspensa:   20 pontos, se o condutor tiver duas ou mais infrações gravíssimas em um período de 12 meses; 30 pontos, se tiver apenas uma infração gravíssima no mesmo período; 40 pontos, se não constar entre as suas infrações nenhuma infração gravíssima nesse intervalo. No caso de motoristas profissionais, a medida foi flexibilizada: eles poderão atingir o limite de 40 pontos independente da natureza das infrações cometidas.   Cadeirinha para crianças   O uso de cadeirinhas ou assento de elevação será obrigatório para crianças de até 10 anos que não atingiram 1,45 metro de altura. O descumprimento continua sendo considerado infração gravíssima, segundo o artigo 168 do CTB, que prevê multa e retenção do veículo até a regularização da situação.   Criança na garupa da moto   Passou de 7 para 10 anos a idade mínima para que crianças possam ser transportadas em moto

OS MELHORES FILMES - BAIXE O APP AGORA!

As mães demitidas durante a pandemia: 'Tentei conciliar trabalho com meu bebê, mas perdi o emprego'



A pandemia chegou quando a advogada Nádia Silva, de Goiás, estava em seu segundo mês de licença-maternidade. Mãe solo (embora receba pensão do pai da criança), ela pretendia juntar um mês de férias à licença e aproveitar o período para encontrar um berçário para deixar o bebê quando voltasse ao trabalho. O plano não deu certo: os berçários continuam fechados, e a empresa exigiu a volta dela sem conceder as férias.

A analista de contratos tentou equilibrar tudo - cuidados com o bebê, trabalho em tempo integral em home office e cuidados com a casa -, mas a situação ficou insustentável.

"Às vezes eu acordava às 4h da manhã para terminar meu trabalho antes de o bebê acordar. E também fazia todo o trabalho doméstico", conta à BBC News Brasil. "Dois meses depois, pedi para a empresa um novo arranjo e um aumento, para eu poder pagar uma babá. Acho que eles acharam que eu não valia tudo isso. A generosidade deles foi de me demitir, o que pelo menos me deu uma indenização."
No momento, Nádia não enxerga formas de voltar ao mercado de trabalho. "Não tenho muito apoio na família para cuidar do bebê, não tenho perspectivas de haver creche e berçário com segurança agora. É difícil, porque eu me esforcei bastante, trabalhava dia e noite, com uma sobrecarga emocional enorme. Você se sente desvalorizada como mulher e como mãe."



Sinuca

Em Santa Catarina, Taís (os sobrenomes de algumas entrevistadas serão omitidos para proteger sua identidade) está há um mês em seu novo emprego, que aceitou por lhe permitir trabalhar remotamente enquanto cuida dos filhos menores, de 8 e 12 anos. Mas agora a empresa planeja voltar ao trabalho presencial, colocando Taís - que também é mãe solo - em uma sinuca de bico.

"O que eu vou fazer com as crianças? Passei por todo o treinamento no trabalho, mas neste mês não tenho como voltar (para um escritório)", diz à BBC News Brasil, temendo ser forçada a abrir mão do novo emprego em plena pandemia - e poucos meses depois de ter sido demitida de um cargo anterior em outra empresa. O motivo da demissão: os chefes viram mensagens de texto que ela havia mandado a colegas, questionando a política da empresa de não migrar para o teletrabalho no início da quarentena.

Agora, diz ela, "as minhas dívidas estão crescendo, e o valor da pensão das crianças é baixo. Dá o nervosismo de precisar trabalhar, mas como vou deixar as crianças? Não posso botar a responsabilidade em cima do meu filho mais velho. Óbvio que vou escolher ficar com eles em vez do emprego".



Marcella, moradora da Grande São Paulo, não tem filhos, mas se comoveu, ainda em março, ao descobrir que uma colega de trabalho estava tendo de deixar os filhos de 5 e 7 anos sozinhos em casa porque a empresa delas, uma multinacional de prestação de serviços, não criou uma política de teletrabalho em um momento em que as escolas já haviam fechado as portas. Mas, quando Marcella discutiu o caso com uma superior, ouviu apenas: "não posso fazer nada".

"Fiquei desesperada com aquilo. Eu estava em uma situação privilegiada porque não tinha filhos, mas pensei nas mulheres mães. Comecei a ficar muito mal, sem conseguir dormir", conta.

Ao denunciar o caso ao setor de compliance da empresa e questionar seu chefe a respeito do caso, Marcella diz que foi demitida, sob a justificativa de "corte de gastos na pandemia".

"Estou procurando emprego remotamente, tentando encontrar um lugar menos pior no mundo corporativo", afirma.

A colega mãe, Marcella soube mais tarde, continuou trabalhando presencialmente e precisou contratar uma pessoa para cuidar dos filhos.



'Retrocesso de 30 anos na participação feminina'

Os exemplos acima encontram respaldo nos números: embora a pandemia tenha provocado desemprego em massa e bagunçado arranjos profissionais de modo generalizado, as mulheres - e as mães de crianças pequenas, em especial - estão entre os grupos mais afetados, ao serem colocadas em situações-limite nas empresas ou por simplesmente não encontrarem formas de conciliar o trabalho com o cuidado com os filhos.

No segundo trimestre de 2020, o desemprego medido pela pesquisa Pnad Contínua, do IBGE, foi de 12% entre homens e 14,9% entre mulheres. A mesma pesquisa mostrou, em junho, que 7 milhões de mulheres haviam deixado o mercado de trabalho na última quinzena de março, contra 5 milhões de homens.

E análises mais detalhadas dos dados históricos mostram um retrocesso de três décadas da presença profissional feminina, segundo o pesquisador do Ipea Marcos Hecksher.



Em dados cedidos inicialmente para o G1, ele identificou que, durante a pandemia, a participação das mulheres no mercado de trabalho, que vinha aumentando gradativamente, voltou para o nível observado em 1990.

Participação das mulheres no mercado de trabalho é a menor em 30 anos, diz Ipea

Só no subgrupo de mulheres com filhos de até dez anos, a participação delas no mercado caiu de 58,3% no segundo trimestre de 2019, para 50,6% no segundo trimestre de 2020. Na prática, só a metade delas, portanto, está no mercado profissional.

"Historicamente, o nível de desemprego é maior e a participação no mercado é menor entre as mulheres, mas vinha ocorrendo uma lenta convergência para o nível dos homens", explica Hecksher à BBC News Brasil.



"Só que a pandemia os afastou de novo. Os homens foram impactados, mas elas foram ainda mais. Demos um salto de 30 anos para trás na participação feminina. Não levaremos outros 30 anos para recuperar isso, mas tampouco será algo rápido."

Os custos disso não serão sentidos apenas por elas, mas por toda a economia brasileira, prossegue o pesquisador.

Isso porque a entrada das mulheres no mercado foi crucial para aumentar o PIB (Produto Interno Bruto) - o somatório dos bens e serviços produzidos no país.

Invisibilidade do trabalho não remunerado
E por que elas estão sendo mais afetadas do que os homens?

As diferenças são estruturais e em grande parte ligadas ao trabalho não remunerado de cuidados com os filhos, diz Hecksher.



"Temos estudos no Ipea que mostram que, quando a mulher fica grávida, ela muitas vezes para de trabalhar e também de estudar. E com o pai não acontece nada. Quando o filho nasce, as mães em geral voltam aos poucos ao mercado de trabalho, mas ficam mais do que eles na informalidade. Isso é histórico, porque se atribui muito mais os cuidados dos filhos às mulheres".

É o caso, por exemplo, de Vânia Suster Sampaio, de Santo André (SP), mãe solo de três filhos. Ela já sabe que sua área de trabalho - produção de eventos - será uma das últimas a voltar à normalidade presencial quando a pandemia arrefecer.

Sem renda fixa desde março, ela não conta com pensão alimentícia regular. O fato de uma das filhas estar finalizando o tratamento de câncer (e portanto, ser do grupo de risco) também dificulta que ela saia de casa para procurar outros tipos de emprego.

"Preciso voltar ao ritmo de antes, ao meu valor de salário, ou não sei o que vai ser", conta Vânia, que tem contado com o auxílio emergencial do governo, com trabalhos freelance e com a ajuda de conhecidos. "Além da tensão de não ter emprego, é o dia inteiro recebendo ligação de cobrança (de pagamentos atrasados)."



'Situação insustentável e desumana'

O problema não se limita ao Brasil. Um levantamento da Universidade de Cambridge com dados do mercado de trabalho de EUA, Reino Unido e Alemanha durante a pandemia apontou que "mulheres e trabalhadores sem diploma têm chance significativamente maior de ter perdido seu emprego" em relação a outros grupos. O estudo nota que "entre a população que trabalha de casa, as mulheres passam significativamente mais tempo (ocupando-se) da educação e dos cuidados das crianças".

A pandemia escancarou um problema que antes era individual: o desequilíbrio nos cuidados com as crianças e a invisibilidade dessas tarefas perante o mercado de trabalho, afirma Maíra Liguori, diretora da Think Eva, organização de defesa dos direitos femininos que presta consultoria a empresas na promoção da igualdade de gênero.

"Existe uma situação insustentável e desumana para as mulheres com crianças, com efeitos duradouros", diz Liguori, uma vez que a interação de qualidade com adultos é crucial para a formação do cérebro e das habilidades emocionais das crianças, sobretudo as pequenas.



"Muitos dizem 'ah, não tenho culpa que ela quis engravidar'. Mas imagine como seria um mundo em que as mulheres não cuidassem mais das crianças? A gente esquece da importância desse trabalho de construir o futuro (da sociedade). Se queremos adultos saudáveis, precisamos que essa conversa saia do âmbito individual e vá para o coletivo."
Para Nádia Silva, a advogada que perdeu o emprego por não conseguir conciliá-lo com o filho pequeno, a sensação é de que "as pessoas não veem o papel social da mãe".

"Vigora um discurso de que a mulher vale menos", opina. "A empresa poderia ter negociado comigo. Seria o papel social dela. A gente acha importante não maltratar animal e reciclar lixo, mas não acha importante ajudar uma mãe a criar um filho?"

Mais empregos com menores jornadas?

Ao mesmo tempo, como trazer de volta mais mulheres para o mercado? Hecksher, do Ipea, defende que essa questão seja incluída no debate em torno de quanto imposto os empregadores devem pagar ao contratar funcionários em regime CLT.



Vigora, até o fim deste ano, a desoneração da folha em 17 setores da economia, e a prorrogação desse benefício é motivo de disputa entre o governo federal e o Congresso.

Hecksher é parte de um grupo de estudiosos que propõe que essa desoneração seja estendida para outros setores (no caso de novas contratações, e não de contratos já vigentes), mas aplicada apenas para jornadas de trabalho mais curtas.

"O objetivo é tornar mais barato que um empregador contrate duas pessoas por 20 horas semanais do que um funcionário por 40 horas semanais", diz ele.

"Com isso, conectamos mais gente ao mercado de trabalho formal. Isso tende a beneficiar mais as mulheres, que com mais frequência do que os homens (aderem) a jornadas parciais. Com isso, também daríamos um benefício às empresas por chamar alguém que está sem trabalho, em vez de concentrar mais trabalho em menos gente."

*Com informações de G1.




Quer receber notícias gratuitamente via WhatsApp?

Quer receber notícias gratuitamente via WhatsApp?
Clique na imagem e nos envie o seu nome e idade

5X Mais Comédia

VEJA TAMBÉM

Polícia persegue criminosos próximo a Conchal e recupera dois veículos Hilux roubados na noite de terça-feira (14)

Três veículos foram roubados em Cosmópolis (SP), na noite de terça-feira (14), no pátio do Detran. Dois veículos foram recuperados pela polícia. Na fuga, houve perseguição pela rodovia Prof. Zeferino Vaz(SP-332), sentido Conchal. Os bandidos que ocupavam um dos veículos, uma Hilux, cor prata, fugiram para o matagal, após abandonarem o automóvel no acostamento próximo ao Km 167. Uma segunda Hilux, também de cor prata, capotou na estrada  que liga Conchal ao município de Araras. O terceiro veículo, ainda não foi encontrado. Até o momento ninguém foi preso.   As melhores séries e filmes você encontra aqui. Role para baixo e clique na imagem da “Prime Vídeo” e veja os melhores pacotes que preparamos para você. 

“Doe quem puder. Pegue quem precisar” - Casal cria barraca de alimentos solidário em Conchal

Uma barraca recheada de produtos alimentícios, com um cartaz escrito, “Doe quem puder. Pegue quem precisar”, foi montada por um casal de comerciantes no dia 04 desde mês, em frente a loja da Honda, próximo ao semáforo da rua Camilo Chagas, em Conchal.   O objetivo é justamente esse, quem puder doar para aqueles que estão passando por necessidade, basta levar o alimento e deixar na barraca. Já, àqueles que estão necessitando de alimentos, basta ir buscar o necessário gratuitamente.   A ideia partiu do casal, Patrícia e Rodrigo, que são proprietários da serralheria Ideal, que também fica localidade próximo ao semáforo da rua Camilo Chagas.   Patrícia contou ao F5, que Rodrigo, seu marido, sentiu que poderia ajudar de alguma forma, ao grande número de conchalenses que passam por necessidade, principalmente neste período da pandemia, provocada pelo coronavirus.   “Na primeira semana fomos ao mercado e compramos aproximadamente R$ 300,00, em alimentos, arroz, feijão, óleo, mac

Maria da Penha - Policia Militar prede individuo em via pública em Conchal por agredir esposa

Neste domingo (11), por volta das 21:20hs, a Policia Militar foi acionada por populares, para comparecer pela Av. Prefeito Egídio Corte, S/N, no Jardim do Lago. Segundo informações recebidas via COPOM, um homem estaria agredindo uma mulher (esposa), com socos e chutes, além de ameaça-la de morte, caso a polícia fosse acionada. Ao chegar ao local os policiais constataram as agressões. Diante dos fatos foi dado voz de prisão ao indiciado e conduzido as partes até o pronto socorro local para exames de corpo de delito. Posterior o casal foi levado para a Delegacia de Polícia Civil no município de Araras. A autoridade policial de plantão Dr. Tabajara Zuliani dos Santos, tomou ciência dos fatos, ratificando a prisão do indiciado tendo o mesmo permanecido à disposição da justiça.        

Policia Militar persegue criminosos após roubo de veículos em pátio do DER - os bandidos que ocupavam a Hilux roubada, fugiram para o matagal, após abandonarem o veículo no acostamento da rodovia Prof. Zeferino Vaz (SP-332), próximo ao Km 167, sentido Conchal.

Foto: Gean Mendes (F5) De acordo com a informação preliminares, aproximadamente onze indivíduos adentraram o pátio de apreensão de veículos do DER, vindo a roubar pelo menos 3 veículos, sendo 2 Hilux e 1 Fox, na noite desta terça-feira. Após receberem informação via Copom, a Policia Militar saiu na captura, logrando êxito ao conseguir recuperar um dos veículos. Uma Hilux, cor prata. Houve perseguição e os bandidos que ocupavam a Hilux roubada, fugiram para o matagal, após abandonarem o veículo no acostamento da rodovia Prof. Zeferino Vaz (SP-332), próximo ao Km 167, sentido Conchal. A ocorrência está em andamento, logo traremos mais informações. Esse é o segundo assalto acontecido no mesmo pátio do DER, em menos de trinta dias. No dia 19/03, deste ano, a Policia Militar recuperou 5 veículos roubados do mesmo local.   Na fuga aconteceu troca de tiros, capotamento de veículo e 1 adolescente conduzindo BMW foi apreendido pela Força Tática. Os veículos foram encontrados no Conchal

Aniversário de 72 anos da cidade de Conchal é marcado por protestos de servidores públicos do município

Nesta manhã de sexta-feira (9), dia em que município de Conchal comemora o aniversário de 72 anos de emancipação política, parte dos servidores do município saíram em carreata protestando contra o corte do BDF, (Bonificação por Desempenho de Função).   Cumprindo os cuidados sanitários por conta da pandemia provocada pelo coronavirus, os servidores se reuniram por volta das 9hs, na Praça da Fonte que não funciona há anos.  Em seguida saíram em fila e, de forma ordeira, sem atrapalhar o trânsito na cidade. Passaram em frente à residência da vice-prefeita Angella Caleffi (PSDB), do prefeito Vando Magunusson (PSDB) e também em frente a casa de diversos vereadores do município.   O F5 acompanhou o protesto e você pode conferir o vídeo e os comentários acessando a Fan Page do F5. CLIQUE AQUI .   As imagens publicadas abaixo foram registradas após a carreata, quando aparece na foto, apenas um servidor, representando "simbolicamente"  alguns dos diversos setores  da prefeitur

Fase vermelha em São Paulo: veja o que abre a partir da segunda-feira

Após queda no número de internações em UTIs e enfermarias de todo o estado, o governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira, 9, que voltará à fase vermelha do Plano SP contra a Covid-19 na próxima segunda-feira, 12, quase um mês após entrar na fase emergencial, a mais restritiva do plano. Apesar de voltar à fase vermelha, algumas imposições do período de fase emergencial serão mantidas em SP.   O toque de recolher continua no Estado das 20h às 5h, assim como a recomendação de escalonamento nos horários de entradas e saída para indústrias, serviços e comércio, a obrigatoriedade do teletrabalho para atividades administrativas e a proibição de celebrações religiosas coletivas.   “A proibição de celebrações religiosas foi uma decisão tomada nesta semana pelo Supremo Tribunal Federal”, lembrou o vice-governador Rodrigo Garcia. Os parques continuarão fechados em todo o Estado.   Poderão funcionar   Assim como na última fase vermelha, findada no dia 15 de março, foram consid

Primeira turma dos GCMs de Conchal realiza última etapa de curso de aprimoramento

Aula prática realizada no ginásio de esportes em Conchal. O curso é dividido em três fases, psicológico, teórico e prático. Para evitar aglomeração, por conta da pandemia provocada pelo coronavirus, os GCMs de Conchal foram divididos em duas turmas. A primeira turma iniciou ontem, terça-feira (13), a terceira e última fase do curso. A previsão é que terminem na próxima segunda-feira (19). Já pensou em que vai comprar para a sua Mãe? Clique aqui e veja as melhores opções de presentes Segundo informado pela prefeitura, a primeira turma de GCMs, poderá voltar as atividades normais a partir da próxima semana, após a conclusão e recebimento do laudo que será fornecido por um Agente da Policia Federal.     Ainda na próxima semana, a segunda turma de GCMs, iniciará a terceira fase (prática) do curso. O início está previsto para o dia 20/04. Clique Aqui -  Assista a filmes e séries recomendados para você, incluindo Amazon Originals como The Marvelous Mrs. Maisel, Jack Ryan de Tom Clancy

Polícia Militar faz grande apreensão de drogas com apoio do helicóptero Águia em Leme, SP. Acesse e assista vídeo da prisão

Reportagem: Beto Ribeiro No final da tarde de quinta-feira (8), policiais militares de Força Tática de Leme (SP), estavam em patrulhamento pelo Distrito Industrial, quando se depararam com um indivíduo, de iniciais M.P.T., o qual a equipe tinha informações que ele estaria embalando, armazenando e distribuindo drogas, pelo bairro Alto da Glória.   O suspeito estava no contra fluxo, saindo de uma estrada rural, e ao ver a viatura policial, fez o retorno e evadiu-se em alta velocidade, sentido bairro República no momento que tentou embrenhar-se a mata, veio a cair em um buraco com a motocicleta e abandonou uma sacola e correu para o interior de um canavial.   De imediato foi irradiado via COPOM onde com o apoio das viaturas de área, viatura DEJEM, Policiamento Rural, viatura de Força Tática de Araras (SP), Comando de Força, e demais equipes, foi realizado o cerco pelo canavial onde o helicóptero Águia fez a varredura e localizou o indivíduo meio a cana, apontando o local onde os p

Já começaram a valer as novas regras nas leis de trânsito. Acesse e veja as principais mudanças

Suspensão da CNH por pontos   Haverá uma escala com três limites de pontuação, para que a CNH seja suspensa:   20 pontos, se o condutor tiver duas ou mais infrações gravíssimas em um período de 12 meses; 30 pontos, se tiver apenas uma infração gravíssima no mesmo período; 40 pontos, se não constar entre as suas infrações nenhuma infração gravíssima nesse intervalo. No caso de motoristas profissionais, a medida foi flexibilizada: eles poderão atingir o limite de 40 pontos independente da natureza das infrações cometidas.   Cadeirinha para crianças   O uso de cadeirinhas ou assento de elevação será obrigatório para crianças de até 10 anos que não atingiram 1,45 metro de altura. O descumprimento continua sendo considerado infração gravíssima, segundo o artigo 168 do CTB, que prevê multa e retenção do veículo até a regularização da situação.   Criança na garupa da moto   Passou de 7 para 10 anos a idade mínima para que crianças possam ser transportadas em moto

Conchal vacina 194 profissionais da educação acima de 47 anos de idade contra a Covid-19 no último domingo

A Prefeitura de Conchal seguindo o calendário de vacinação contra a Covid-19 e a disponibilidade de doses enviadas pelo Governo Estadual, vacinou no domingo, dia 11, 194 profissionais da educação com idade acima de 47 anos.   Já pensou em que vai comprar para a sua Mãe? Clique aqui e veja as melhores opções de presentes A aplicação da primeira dose foi realizada na EMEF “Alonso Ferreira de Camargo” com horário programado de acordo com a escola em que o profissional trabalha. Vacinômetro   De acordo com o Departamento Municipal de Saúde, por meio de Informe Epidemiológico Covid-19, disponível no site da Prefeitura, foram aplicadas até o dia 12 de abril de 2021, 3.591 doses.   O próximo grupo a ser imunizado serão os idosos de 67 anos ou mais. A aplicação da primeira dose será nesta quarta-feira, dia 14, das 09h às 14h na EMEF “Alonso Ferreira de Camargo”. Não é preciso agendar e nem chegar bem cedo, pois haverá doses para todos os idosos desta faixa etária. Apenas apresentar R