Novidade!

Entenda quais são os riscos de pegar covid-19 em uma sessão de cinema



Cinemas, teatros, bibliotecas, museus e outros equipamentos culturais foram reabertos na cidade de São Paulo no último sábado (10) graças à mudança para a fase verde do plano de flexibilização estabelecido pelo governo do Estado.

A reabertura acontece mediante a determinação de inúmeras regras, como por exemplo reduzir a ocupação de salas a 60% da capacidadde total, intercalar os assentos - deixando dois lugares livres entre os espectadores, a fim de se garantir espaçamento lateral -, fornecer máscaras suficientes aos colaboradores e desinfectar previamente os ambientes.



Apesar das normas, a infectologista Lina Paola, da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, afirma que a chance de infecção durante uma sessão de cinema ou teatro é grande. Se fosse estabelecida uma escala de risco, a especialista colocaria esses eventos em alerta vermelho.

"Em ambientes fechados, onde não há circulação de ar o risco de se contaminar é alto. A minha recomendação seria que o número de pessoas [na sala] seja muito restrito e que as portas fiquem abertas, sem o uso do ar-condicionado", destaca.



A médica explica que o ar-condicionado funciona como um potencializador da circulação de aérossois, pequenas partículas líquidas contaminadas com o vírus que ficam suspensas no ar ao serem expelidas quando alguém fala, tosse ou espirra. "Ele movimenta o mesmo ar dentro do local fechado, então aquelas particulas permancem ali", descreve.

De acordo com ela, o ideal seria que a ocupação de salas fossem reduzidas a, no máximo, 50% de sua capacidade total e que fossem criadas "pequenas ilhas" para cada grupo familiar, pois não basta garantir apenas a distância lateral entre poltronas - que deve ser de, no mínimo, um metro. "Tem que ter poltronas vagas na frente e atrás".



A infectologista enfatiza que as pessoas não devem tirar a máscara nem para comer. "Tem que usar o tempo todo, porque não há troca de ar, então vão ficar aerossóis naquele ambiente", recomenda. "O ideal é não consumir alimentos no local", completa.

Lina também cita a dificuldade de desinfectar poltronas. "Se for de couro ou outro material sintético eles vão conseguir. Mas o estofado não é plausível de higienização. O líquido é absorvido pelo tecido, que fica molhado e você não tem como esterelizar. A solução seria colocar uma capa plástica e trocar a cada sessão", analisa.



A especialista afirma que, apesar da reabertura, quem faz parte do grupo de risco da covid-19 não deve ir ao cinema ou a qualquer outro evento em ambientes fechados. "Se for uma pessoa saudável, mas que mora com alguém que tem maior risco de ter complicações graves, deve avaliar muito bem [antes de decidir]", aconselha.

*Com informações de R7.






Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Campanha da Acico distribui quase R$ 60 mil em prêmios

Artistas de Conchal não receberão auxilio da Lei Aldir Blanc e mais de 217 mil terá que ser devolvido ao Governo – Diversos erros no processo elaborado pelo setor de turismo da cidade tonaram inviáveis os pagamentos

Banco do Brasil anuncia programa de demissão voluntária e fechamento de 361 unidades

Procurado pela Justiça é capturado pela PM durante patrulhamento em Conchal, SP

Polícia Militar aborda veículo com “pé” para fora do porta-malas na Rodovia Anhanguera em Araras, SP

Casal se perde no meio do mato e é resgatado pela Polícia Militar na zona rural de Araras, SP

Polícia Militar desmonta centro de associação ao tráfico em Leme

Bolsonaro sobre CoronaVac: "Agora estão ouvindo a verdade"

Homem tem arma apreendida pela Força Tática após atirar contra suspeitos e acerta um deles na zona rural de Araras, SP

Homem sofre tentativa de homicídio no Jd Bela Vista em Conchal – O crime aconteceu por volta das 6:50hs deste sábado (9). A GCM atendeu a ocorrência

Todas as Publicações

Mostrar mais