Novidade!

Sem Carnaval, ambulantes perdem principal retorno financeiro do ano


Além de decepcionar foliões, o cancelamento das comemorações do Carnaval em meio a uma nova onda de Covid-19 no Brasil também significa que os vendedores ambulantes perderão o que, para muitos deles, é o principal retorno financeiro do ano.

Cláudia Máximo Torres e sua esposa, Daylane, costumam vender cerca de 10 mil latas de cerveja durante o Carnaval de São Paulo, o que representa um ganho de mais de R$ 7 mil.



"No Carnaval, são números mirabolantes, bem assustadores", disse Torres, de 38 anos. "Agora vamos ter que jogar tudo pela janela."

O casal está entre as dezenas de milhares de vendedores ambulantes que, sem poder circular com suas caixas térmicas entre as multidões que se aglomeram no feriado, perderão o resultado positivo anual.



"Os ambulantes trabalham conosco todo ano e estão sofrendo bastante", disse Jean Jereissati, CEO da fabricante de bebidas Ambev.

A Ambev, que costuma realizar grandes campanhas promocionais em cooperação com os ambulantes no Carnaval, desta vez está lançando um programa de auxílio aos vendedores.



A empresa estima que cerca de 20 mil pessoas farão uso do programa, que dará 255 reais em assistência a vendedores individuais em forma de cestas de produtos e cupons.

Embora o auxílio possa parecer pequeno, Torres o comparou aos pagamentos emergenciais realizados pelo governo no ano passado, que chegaram a R$ 600 por mês.



Torres disse que apesar de ter descartado há muito tempo um Carnaval normal neste ano, está depositando suas esperanças em uma coisa: "A vacina."

"No ano que vem, se Deus quiser, o Carnaval vai poder voltar", afirmou.



CAIXAS TÉRMICAS

Nesse sentido, a Ambev também detectou em meio à pandemia que caixas térmicas que anteriormente eram compradas para o período de Carnaval seriam úteis nos postos de saúde para o armazenamento adequado de vacinas contra a Covid-19, o que levou a empresa a doar cerca de 5 mil caixas ao Ministério da Saúde.

"O que antes a gente comprava para o Carnaval, compramos para doar para o Ministério da Saúde, com uma pequena adaptação, de uma maneira que pudesse armazenar as vacinas nesses milhões de postos de saúde do Brasil", afirmou Jereissati.



Segundo ele, as caixas térmicas adquiridas e doadas pela Ambev poderão transportar e armazenar 3 milhões de vacinas.

"Desde o início da pandemia, a Ambev está olhando para dentro de si e se perguntando quais são os nossos recursos, competências e capacidades que podemos usar para ajudar o Brasil a passar por tudo isso", acrescentou o executivo.

* Com informações de R7.









Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Policia Militar e fiscais da prefeitura de Conchal fecham 4 estabelecimentos por não respeitar medidas de combate ao Covid-19

Jovem tenta se desfazer de drogas e é presa pela Policia Militar em Conchal

Menor e drogas são apreendidos pela Polícia Civil no Sol Nascente em Conchal

“As pessoas precisam entender que o momento é crítico”, diz Dr. Agnaldo Piscopo sobre atual situação da pandemia em Araras, SP

Pai e filho saem para trabalhar e são baleados na zona oeste de SP

Bombeiros buscam bebê que teria sido jogado pelo pai em rio de MG

Câmara dos Deputados pede ao STF prisão do comediante Danilo Gentili

Avião com doses da vacina da Covid-19 bate em jumento que estava em pista de aeródromo da Bahia

Doria anuncia mais restrições para São Paulo nesta quarta, mas deve manter escolas abertas

Assédio moral no trabalho, o que fazer nestas situações?

Todas as Publicações

Mostrar mais