Trabalhadora falta a audiência e é condenada a pagar R$ 47,5 mil a empresa




A ausência de uma ex-funcionária em audiência custou caro para a trabalhadora. O juiz Alex Fabiano de Souza, da 3ª Vara do Trabalho de Várzea Grande (MT) determinou que ela pague à empresa R$ 47,5 mil em forma de ressarcimento para a concessionária para a qual ela trabalhou.

A trabalhadora foi contratada pela concessionária em abril de 2015 para exercer a função de assistente de departamento pessoal. Ela foi demitida por justa causa, em agosto do ano passado, após a empresa descobrir que teria creditado indevidamente quase R$ 30 mil em seu próprio cartão alimentação. O procedimento foi repetido em relação a outras duas ex-funcionárias, totalizando R$ 47,5 mil.



Ao solicitar a reversão da demissão por justa causa para demissão sem justa causa, a trabalhadora cobrava da empresa na Justiça o pagamento de verbas rescisórias no valor de R$ 97,1 mil, relativas a diferenças de verbas rescisórias, seguro-desemprego indenizado, multas previstas na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), diferenças de FGTS com multa de 40% e indenização por dano moral.

Na defesa da concessionária, feita pelo advogado Reinaldo Ortigara, foram apresentados os relatórios com os valores indevidamente creditados. Ao rechaçar a versão apresentada pela ex-funcionária, o advogado destacou que se as horas-extras devidas a ela resultariam em um valor bem abaixo do alegado por ela em sua explicação.



No dia marcado para sua oitiva, a trabalhadora não compareceu e tampouco justificou sua ausência, o que motivou um pedido de Ortigara para que fosse acolhida a confissão ficta da ex-funcionária, que representa o acolhimento das informações prestadas pela empresa, além da improcedência dos pedidos feitos por ela ao ingressar com a ação.

“Desta feita, por ter a Autora se ausentado injustificadamente na audiência em que deveria depor, aplico-lhe a pena de confissão e, por consequência, reconheço como verdadeiras as afirmações da Ré, mantenho a justa causa aplicada e julgo improcedentes os pedidos de pagamento de diferenças de verbas rescisórias, multas do artigo 477 da CLT, diferenças de FGTS com multa de 40%, seguro-desemprego indenizado, indenização por dano moral, além da retificação da data da saída na CTPS”, afirmou o juiz na sentença.



Comentários

Leia também...

Aposentado e motorista de ônibus escolar foram presos suspeitos de estuprar menina de 12 anos em Aguaí, SP

Conchal - Matrículas para o EJA (Educação Jovens e Adultos) abertas a partir dessa segunda-feira 21/01 a 04/02

Câmara de Conchal realiza primeira sessão do ano em regime extraordinário

'Superlua de Sangue' ficará visível neste domingo

PREFEITURA INICIA LIMPEZA DOS RESERVATÓRIOS DE ÁGUA COMEÇANDO PELAS CAIXAS DO CENTRO DA CIDADE.

Conchal - CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL (UNINTER)

Em Tietê (SP) ruas foram pintadas de azul com o objetivo de amenizar o calor e diminuir gastos com a energia elétrica

Prefeito de Conchal acaba de anunciar que todos os postos de saúde passarão a fazer agendamentos diários

Doria proíbe consumo de bebida alcoólica em postos de gasolina

Desde o início do ano mais de 700 pessoas deram entrada no hospital Madre Vannini com virose saiba como se prevenir

Todas as Publicações

Mostrar mais