IPCA desacelera em abril, mas alta de 0,57% é a maior para o mês desde 2016


Inflação acumulada em 12 meses chega a 4,94%, informou o IBGE nesta sexta-feira; preços da gasolina e dos remédios foram os que mais pesaram na composição do índice.



Foto: André Vieira/Bloomberg/



A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou abril com alta de 0,57%, ante um avanço de 0,75% em março, informou nesta sexta-feira, 10, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou abaixo da mediana das estimativas do mercado financeiro, de 0,63%, e dentro do intervalo de 0,54% a 0,71% na pesquisa Projeções Broadcast.

Segundo o IBGE, foi a maior alta do IPCA para meses de abril desde 2016, quando a taxa ficou em 0,61%.

A taxa acumulada pela inflação no ano foi de 2,09%. Nessa base de comparação também foi a maior variação acumulada até abril desde 2016, quando o IPCA teve avanço de 3,25%.

O IPCA em 12 meses ficou em 4,94%, abaixo da mediana das previsões, de 5,00% (intervalo de 4,90% a 5,10%). Segundo o IBGE, é a maior variação acumulada em 12 meses desde janeiro de 2017, quando o IPCA acumulou alta de 5,35%.

Pressão da gasolina e dos remédios
Gasolina e remédios foram os vilões da inflação de abril. Os preços dos alimentos também pesaram, mas em magnitude inferior ao peso visto na leitura de março do indicador.

O grupo saúde e cuidados pessoais teve o maior impacto de alta, contribuindo com 0,18 ponto porcentual após avançar 1,51% no IPCA de abril. O destaque foi o segmento "remédios" (2,25%), refletindo o reajuste anual, em vigor desde 31 de março, com teto de 4,33%, segundo o IBGE.

De acordo com Fernando Gonçalves, da Gerência de Sistema Nacional de Índices de Preços (SNIPC) do IBGE, os remédios tiveram o terceiro maior impacto individual no IPCA do mês e é possível que o reajuste continue tendo efeito na inflação de maio, pois as farmácias podem "espaçar" as remarcações de preços em função da concorrência. "Pode ser que o comerciante, para atrair o público, espace mais os reajustes", disse.

O primeiro impacto individual na inflação ficou com a gasolina, que avançou 2,66%. Com isso, o grupo transportes subiu 0,94% no IPCA de abril, com impacto de alta de 0,17 ponto porcentual. Apesar disso, houve desaceleração ante março, quando o grupo subiu 1,44%.

O grupo alimentação e bebidas contribuiu com 0,16 ponto porcentual no IPCA do mês passado, ao subir 0,63%. Apesar do peso, a variação ficou abaixo da metade da registrada no IPCA de março (1,37%).

A desaceleração foi puxada pelos alimentos no domicílio, que saíram da alta de 2,07% no IPCA de março para elevação de 0,62% na leitura de abril.

O IBGE destacou as quedas de preços no feijão-carioca (-9,09%) e nas frutas (-0,71%). Por outro lado, ainda houve pressão do tomate (28,64%), segundo maior impacto individual no IPCA de abril, do frango inteiro (3,32%), da cebola (8,62%) e das carnes (0,46%). A alimentação fora de casa foi de 0,10% em março para 0,64% em abril.

Preços monitorados

Segundo Gonçalves, os preços monitorados - como são os dos combustíveis e dos remédios - continuarão a pressionar a inflação de maio. Estão no radar o reajuste de 3,43% no gás de botijão, em vigor desde 1.º de maio (o gás de botijão tem peso de 1,32% no IPCA) e o reajuste de 4,72% na tarifa de água e esgoto na região metropolitana de São Paulo. Esse item pesa 1,47% na composição do IPCA da região metropolitana de São Paulo, que, por sua vez, responde por 30,67% na composição do IPCA nacional.

Além disso, a conta de luz terá bandeira amarela em maio. Segundo Gonçalves, esse efeito será o principal na tarifa de energia elétrica, mas se somará a reajustes concedidos em Recife, Fortaleza e Aracaju, principalmente.




Comentários

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Polícia indicia pai e mãe de adolescente que pediu socorro pelas redes sociais após ser estuprada

Polícia Civil de Conchal apreendeu na tarde desta terça-feira (16), traficante com 45 papelotes de cocaína, 25 pedras de crack e 31 reais em espécie

Polícia Civil investiga mais dois padres por suspeita de abuso sexual da diocese de Limeira, SP

Liberação de saque de contas do FGTS será anunciada na próxima semana, diz ministro da Casa Civil

Vereadores de Conchal aprovam relatório para a abertura de processo de cassação do vereador Rodinei Ferreira da Silva.

Líder de grupo terrorista revela plano para matar Bolsonaro

ANP libera venda direta ao consumidor de botijão de gás de 13 kg

Governo de São Paulo muda identidade visual de viaturas da PM

Funcionários da concessionária Arteris/Intervias entram em greve por tempo indeterminado

Governo pretende liberar R$ 42 bilhões das contas ativas do Fundo de Garantia

Todas as Publicações

Mostrar mais