Novidade!

PF vê movimentações 'suspeitas' em contas de investigados por invasão a celular de Moro

Relatório da PF afirma que dois investigados, presos nesta terça, movimentaram, juntos, mais de R$ 627 mil entre março e junho. Juiz vê 'fortes indícios' de organização criminosa.



A Polícia Federal (PF) identificou movimentações "suspeitas" nas contas de dois dos quatro investigados na operação que apura a invasão de celulares do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Os detalhes constam da decisão do juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília, que autorizou a prisão de quatro pessoas, além de buscas e apreensões.

Segundo a decisão do juiz, o relatório da PF sobre as investigações demonstra que dois investigados movimentaram, juntos, mais de R$ 627 mil entre março e junho.

De acordo com a PF, o cadastro bancário de um dos investigados mostra que a renda mensal dele era de R$ 2,8 mil. Do outro, segundo a PF, era de R$ 2,1 mil.
 
"Diante da incompatibilidade entre as movimentações financeiras e a renda mensal [...], faz-se necessário realizar o rastreamento dos recursos recebidos ou movimentados pelos investigados e de averiguar eventuais patrocinadores das invasões ilegais dos dispositivos informáticos (smartphones)", diz o juiz Vallisney de Oliveira.

Na decisão, o magistrado também autoriza o bloqueio de valores que superem os R$ 1 mil nas contas dos quatro investigados. Segundo ele, o pedido do Ministério Público Federal, que desejava bloquear valores acima de R$ 10 mil de cada um, não pode ser atendido agora porque trata-se de diferentes investigados e de movimentações "bastante difusas e variadas entre eles".

'Organização criminosa'

Segundo a decisão do juiz, a PF apresentou um "histórico de possíveis crimes praticados em conjunto pelos quatro".

"Há fortes indícios de que os investigados integram organização criminosa para a prática de crimes e se uniram para violar o sigilo telefônico de diversas autoridades públicas brasileiras via invasão do aplicativo Telegram", afirmou Vallisney na decisão.

De acordo com o juiz, eles também são investigados por terem invadido os celulares do desembargador Abel Gomes (TRF-2), do juiz federal Flávio Lucas (18ª Vara Federal do Rio de Janeiro), e dos delegados da Polícia Federal Rafael Fernandes (São Paulo) e Flávio Reis (Campinas).

 Conteúdo: ‘G1’





Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Novo caso de coronavirus é confirmado em Conchal neste sábado (23). O paciente tem 12 anos e pertence a região sudeste do município

Conchal confirma neste sábado (30) novo caso testado positivo para Covid-19. Veja nota emitida pela prefeitura de Conchal.

Quarentena em SP é prorrogada por 15 dias com flexibilização progressiva em diferentes regiões do estado

Policia Militar e Guarda Municipal acabam com festa e aglomeração de pessoas no Jardim das Palmeiras em Conchal.

ENTENDA OS CRITÉRIOS E AS FASES DA RETOMADA DA ECONOMIA DE SÃO PAULO

Mesmo em crise econômica Prefeitura de Conchal quita dívida histórica de mais de 30 anos do Bairro Jardim Esperança

Guarda Municipal prende segundo acusado de ter assassinado a facadas o pintor Wesley Ribeiro, 24 anos. O crime aconteceu em 9 de março deste ano

Coronavirus coloca arrecadação municipal na UTI em Conchal – Em alguns segmentos a queda de receita foi de quase 40%

Parto Normal - Bebê nasce com mais de 5 quilos em maternidade no interior de SP

Todas as Publicações

Mostrar mais