Novidade!

MEC anuncia que maior parte do R$ 1,99 bilhão liberado vai para universidades e institutos de ensino


Segundo o ministro Abraham Weintraub, universidades e institutos vão receber R$ 1,156 bilhão — 58% do total. Ao todo, R$ 3,8 bilhões ainda seguem bloqueados.


Conteúdo: ‘G1’

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta segunda-feira (30), em Brasília, que a liberação pelo governo federal de R$ 1,99 bilhão para a pasta será destinada, principalmente, para universidades e institutos federais de educação. Eles vão receber R$ 1,156 bilhão — o que representa 58% do total.

Com isso, o percentual de verbas discricionárias (despesas não obrigatórias) das universidades que seguem contingenciadas caiu de 24,84%, anunciados no primeiro semestre, para 15%. Ao todo, seguem bloqueados R$ 3,8 bilhões dos R$ 6,1 bilhões suspensos desde o início do ano.

Veja, abaixo como será a distribuição dos recursos:

·        R$ 808 milhões para universidades
·        R$ 347 milhões para institutos federais
·        R$ 270 milhões para bolsas Capes
·        R$ 105 milhões para exames da educação básica (Inep)
·        R$ 290 milhões livros didáticos (PNLD)
·        R$ 169 milhões para outras despesas
·        R$ 11 milhões para INES, IBC e Fundaj

Novas liberações
Na coletiva, o ministro da Educação afirmou que o governo deve fazer mais liberações de recursos para a educação no final de outubro.

Segundo Weintraub, com a aprovação da reforma da Previdência pelo Congresso, deve haver retomada da economia e aumento da arrecadação, permitindo liberar quase todo o recurso que foi bloqueado em março.

“Não tem como afirmar, mas a probabilidade hoje é muito maior do que era há seis meses atrás. A gente caminha para descontingenciar quase a totalidade do que foi contingenciado”, disse o ministro.

Segundo ele, a pasta teve que administrar o problema de falta de recursos “na boca do caixa”. Weintraub diz que não vê razão para alarde quanto à descontinuidade de nenhum serviço do ministério.

Contingenciamentos e cortes de bolsas

Desde o início deste ano, o MEC já passou por dois contingenciamentos no orçamento: R$ 5,8 bilhões em abril e R$ 348,47 milhões em julho.

A Defensoria Pública da União chegou a entrar na Justiça pedindo o fim da suspensão das verbas das universidades federais do Rio de Janeiro.

Em 2 de setembro, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (Capes) anunciou o corte de 5.613 bolsas, prevendo uma economia de R$ 544 milhões em quatro anos. A suspensão dos recursos valeria para todos os cursos, mesmo aqueles com boa avaliação e que produzem pesquisas de ponta.

Dias depois, o MEC anunciou o desbloqueio de parte destas bolsas: foram liberadas 3.182 bolsas de pós-graduação de cursos bem avaliados.

De acordo com o MEC, a liberação de R$ 270 milhões anunciada nesta segunda para a Capes será para pagar as bolsas atuais. Segundo a pasta, 2.431 bolsas seguem suspensas porque foram cortadas por terem baixo desempenho.





Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Captura de procurado no Jardim Esperança ll em Conchal

Empresário Edson Simoso morre aos 47, vítima da Covid-19

Prefeitura interdita praças no centro da cidade para evitar aglomerações

Polícia civil prende indivíduo por porte ilegal de arma em Conchal

Fora de risco de transmissão Prefeito Vando Magnusson testa positivo para Covid-19 – outros seis servidores públicos também positivaram no teste

Umaflex fez sexta-feira (10) doação de mais 100 cestas básicas para a assistência social de Conchal

Vaga de trabalho para assistente financeiro

Multa de R$ 110.00 passa a valer a partir desta quinta-feira (9) - No combate ao coronavírus, multa será aplicada para quem não utilizar máscara de proteção facial em Conchal

Candidato do PT para eleições de 2020 promete “roubar pouco”. O vídeo viralizou nas redes sociais. Assista...

Todas as Publicações

Mostrar mais