Novidade!

Pesquisadores criam filtro capaz de matar 99,8% do novo coronavírus



Pesquisadores da Universidade de Houston, nos Estados Unidos, criaram um filtro de ar que é capaz de prender e matar instantaneamente o novo coronavírus.

Segundo artigo publicado na revista científica Materials Today Physics, um teste com o vírus responsável pela pandemia da covid-19, realizado no Laboratório Nacional de Galveston, descobriu que 99,8% do vírus SARS-CoV-2 foi morto em uma única passagem pelo filtro, que é feito de um material amplamente disponível no mercado.



Na produção, é utilizada uma espuma de níquel que oferece pouca resistência, não conseguindo chegar aos 200ºC necessários. Para solucionar este problema os pesquisadores dobraram o material, e conectando alguns fios elétricos para alcançar a temperatura desejada,

"Este filtro pode ser útil em aeroportos e aviões, em prédios de escritórios, escola e navios de cruzeiro para impedir a propagação da covid-19", comentou Zhifeng Ren, diretor do Centro Texas  para Supercondutividade da Universidade de Houston e responsável pela descoberta.



Ren contou que o centro de estudo foi contratado pela construtora Medistar para ajudar na criação de um conceito de filtro que pudesse "prender" o vírus, que naquele momento começava a se espalhar pelos Estados Unidos.

Os pesquisadores sabiam que o vírus pode se manter suspenso no ar por até três horas e que ele não resiste a temperaturas acima dos 70ºC. Por isso, a única opção viável seria de um filtro que pudesse retirá-lo rapidamente da circulação e conseguisse ser aquecido.



"Esta nova tecnologia de biodefesa para o ar de lugares fechados oferece prevenção contra a transmissão ambiental para aqueles que estão na linha de frente do combate ao coronavírus e será uma das tecnologias de ponta de lança no combate à pandemia atual e para outras ameaças que possam circular no ar de locais fechados", comentou o Dr. Faisal Cheema, coautor da pesquisa e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Houston.

Os cientistas optaram por utilizar um método de estágios na hora de espalhar o novo aparelho, "começando com locais de alta prioridade, onde trabalhadores de serviços essenciais estão com um alto nível de exposição (especialmente escolas, hospitais e transportes públicos)", explicaram os pesquisadores.



Gripe, sarampo, ebola, HIV e agora novo coronavírus. Esses são apenas alguns exemplos de doenças causadas por vírus. Do ponto de vista estrutural, nada indicaria tamanho poder em algo que não passa de uma pequena cadeia de material genético, conforme informações do infectologista Wladimir Queiroz, do Instituto Emílio Ribas, em São Paulo. Mas ele explica que os vírus, apesar de não serem tão poderosos, têm a capacidade de se tornarem muito potentes.

*Com informações de R7.




Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Policia Militar e fiscais da prefeitura de Conchal fecham 4 estabelecimentos por não respeitar medidas de combate ao Covid-19

Jovem tenta se desfazer de drogas e é presa pela Policia Militar em Conchal

Menor e drogas são apreendidos pela Polícia Civil no Sol Nascente em Conchal

“As pessoas precisam entender que o momento é crítico”, diz Dr. Agnaldo Piscopo sobre atual situação da pandemia em Araras, SP

Pai e filho saem para trabalhar e são baleados na zona oeste de SP

Bombeiros buscam bebê que teria sido jogado pelo pai em rio de MG

Câmara dos Deputados pede ao STF prisão do comediante Danilo Gentili

Avião com doses da vacina da Covid-19 bate em jumento que estava em pista de aeródromo da Bahia

Doria anuncia mais restrições para São Paulo nesta quarta, mas deve manter escolas abertas

Assédio moral no trabalho, o que fazer nestas situações?

Todas as Publicações

Mostrar mais