Ministra da França diz que país não assinará acordo UE-Mercosul porque Brasil 'não respeita a Amazônia'


Elisabeth Borne, que comanda a pasta do Meio Ambiente, faz críticas à posição brasileira em relação ao Acordo de Paris




Conteúdo: ‘O GLOBO’

A França não assinará o acordo entre União Europeia e Mercosul sobre questões agrícolas nas condições atuais, afirmou nesta terça-feira a ministra francesa do Meio Ambiente, Elisabeth Borne.

- Não podemos assinar um tratado comercial com um país que não respeita a floresta Amazônica, que não respeita o tratado de Paris (do clima). A França não assinará o acordo do Mercosul nessas condições - disse a ministra à emissora de televisão BFM.

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse no fim de agosto que havia decidido bloquear o acordo UE-Mercosul , acusando o presidente Jair Bolsonaro de minimizar as preocupações com as mudanças climáticas, o que atraiu críticas da Alemanha e do Reino Unido .

Mas o governo francês não está sozinho na sua cruzada contra o acordo comercial entre os dois blocos. O primeiro-ministro da  Irlanda igualmente ameaçou votar contra o acordo e atribuiu sua posição ao fato de o Brasil não respeitar seus "compromissos ambientais" .

Boicote a fornecedores brasileiros

Em setembro, o parlamento austríaco aprovou uma moção rejeitando a proposta de um  pacto de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul e também citou as queimadas na Amazônia como a razão para a oposição ao tratado.

Fontes do governo brasileiro dizem que as reações como a do Legislativo da Áustria e as críticas e ameaças dos governo francês e irlandês já eram esperadas e não preocupam o Itamaraty.

A avaliação é que a oposição ao acordo vem de setores que se sentem afetados pela possibilidade de produtos do agronegócio brasileiro entrarem com mais facilidade na Europa ocidental.

O boicote de empresas estrangeiras a produtos nacionais, porém, já é real. No fim de agosto, a dona das marcas Kipling e Timberland , informou que não mais comprará couro de fornecedores brasileiros. Poucos dias depois, a H&M, segunda maior varejista de moda do mundo, também interrompeu as importações de couro brasileiro .

Assinatura do acordo apenas em 2020

O acordo entre Mercosul e União Europeia,  anunciado em junho  , está neste momento na fase de revisão jurídica e só deve ficar pronto para a assinatura das partes no início de 2020.


Pelo que foi acertado, a parte econômico-comercial do acordo - que abrange reduções de tarifas, investimentos, compras governamentais e eliminação de barreiras - entrará em vigor assim que o Parlamento europeu e os legislativos do Mercosul aprovarem o que foi negociado. Apenas a parte política - com itens como meio ambiente, transferência de tecnologia e direitos humanos - precisará passar por cada um dos 28 parlamentos da UE.




Comentários

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Policia Militar prende homem por tráfico de drogas no Bairro Sol Nascente em Conchal

'Se encontrar algum, mate e congele': o alerta nos EUA pelo aparecimento de peixe cabeça-de-cobra, que respira fora d’água

Vídeo - Acidente entre ônibus e caminhão deixa feridos na Rodovia Anhanguera

Guarda Municipal frustra tentativa de furto a caixa eletrônico em Conchal e prende dois indivíduos em flagrante

Mais de 5.100 pessoas vão ter que devolver dinheiro do Bolsa Família

Fotos - Departamento de Esportes inicia Olimpíada Interescolar em Conchal

Motorista perde controle do carro em teste de baliza e derruba muro recém-construído, em Curitiba

A JUNTA DE SERVIÇO MILITAR DE CONCHAL CONVOCA OS JOVENS DA CLASSE DE 2001 E ANOS ANTERIORES PARA JURAMENTO À BANDEIRA

Vídeo mostra assaltante beijando idosa durante roubo no Piauí: ‘não quero seu dinheiro’

Laudos afirmam que Raíssa de 9 anos foi estuprada antes de ser morta em SP

Todas as Publicações

Mostrar mais