Novidade!

Policial militar é acionado em acidente com moto e descobre morte de irmão: 'Desespero total'



O policial militar José Renato dos Santos, morador de Tupã (SP), cumpria seu expediente normal de trabalho no domingo (11) quando foi acionado para atender um acidente entre moto e carro com morte. Contudo, para sua surpresa, a vítima era o seu próprio irmão, Rogério Cardoso dos Santos.

Ao G1, o cabo Santos contou que seu irmão estava na chácara do pai com a família, comemorando o aniversário de 44 anos dele e do irmão gêmeo, que havia sido no último dia 7. O PM também estava no local, mas precisou ir embora depois do almoço para trabalhar, enquanto os outros parentes continuaram na comemoração.



À noite, o irmão precisou ir até a casa do sogro de moto e voltaria mais tarde para dormir na chácara. Foi no caminho que acabou se envolvendo na batida.

“Iniciei o serviço à noite e foi despachado a princípio para uma ocorrência de capotamento. Lá no local dos fatos, cheguei e visualizei uma moto totalmente destruída, cravada numa árvore. Logo abaixo vi o veículo e já percebemos que não se tratava apenas de um capotamento”, lembra o cabo.



De acordo com o PM, os bombeiros já estavam na vicinal e todos saíram em busca do motociclista, que não estava no local do acidente. A Polícia Militar informou que ele foi arrastado por cerca de 30 metros depois da batida.

“Eu comecei a procurar em volta da moto e acho que Deus me livrou de não ter visto meu irmão da forma como ele ficou. Eu fui até a moto, efetuei a consulta da placa e deu como proprietária o nome da minha cunhada. Na hora deu aquele baque”, desabafa o PM.



Segundo o cabo, na hora em que ele confirmou a propriedade da moto, percebeu que a vítima poderia ser seu irmão ou sua cunhada, as únicas pessoas que utilizavam o veículo.

“Liguei no celular do meu irmão, caixa postal. Foi quando eu consegui falar com a minha cunhada e caiu a ficha de que era meu irmão que estava ali. No mesmo momento o bombeiro já anunciou que havia achado o corpo dele, aí foi desespero total”, lembra.



Segundo a Polícia Civil, o motorista do carro envolvido no acidente abandonou o veículo e fugiu do local após a batida. Nesta segunda-feira (12), ele se apresentou na Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Tupã com um advogado.

A Polícia Civil informou que o homem foi ouvido e liberado, pois não estava mais em flagrante. Ele será investigado por homicídio culposo e fuga do local do acidente.



Ainda de acordo com a polícia, as investigações prosseguem e o crime pelo qual o motorista vai responder pode mudar caso seja comprovado que ele havia consumido bebida alcoólica.

“A única intenção minha é que realmente seja cobrado, que a verdade apareça e que ele seja punido pela lei”, desabafa Renato.



Além dos irmãos, Rogério deixou esposa, três filhos e dois netos. Ele foi enterrado nesta segunda-feira (12) em Tupã.

“Destruiu uma família. Não é fácil ver. Tive que dar a notícia pra minha mãe, não sai da minha mente o choro de uma mãe quando perde um filho”, lembra o irmão.



“Era um homem excepcional, sempre trabalhou na vida. Não tem vício nenhum, não bebia, não fumava, era totalmente família”, conta o PM sobre a vítima.

*Com informações de G1.




Imperdível

Publicidade

Não Perca Tempo! Venha para os Cursos 24 horas

Leia também...

Policia Militar e fiscais da prefeitura de Conchal fecham 4 estabelecimentos por não respeitar medidas de combate ao Covid-19

Jovem tenta se desfazer de drogas e é presa pela Policia Militar em Conchal

Menor e drogas são apreendidos pela Polícia Civil no Sol Nascente em Conchal

“As pessoas precisam entender que o momento é crítico”, diz Dr. Agnaldo Piscopo sobre atual situação da pandemia em Araras, SP

Pai e filho saem para trabalhar e são baleados na zona oeste de SP

Bombeiros buscam bebê que teria sido jogado pelo pai em rio de MG

Câmara dos Deputados pede ao STF prisão do comediante Danilo Gentili

Avião com doses da vacina da Covid-19 bate em jumento que estava em pista de aeródromo da Bahia

Doria anuncia mais restrições para São Paulo nesta quarta, mas deve manter escolas abertas

Assédio moral no trabalho, o que fazer nestas situações?

Todas as Publicações

Mostrar mais